Segunda etapa do Gasoduto do Vale do Aço entra em operação

Gasmig investiu cerca de R$ 700 milhões na obra que gerou mais de dois mil empregos.  

A segunda etapa do Gasoduto Vale do Aço entrou em operação nesta quarta-feira (29/09), garantindo a oferta de uma matriz energética mais competitiva para a região. Com investimentos de R$ 700 milhões da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), o gasoduto possui capacidade para transportar 2,4 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. O início da operação foi presidido pelo secretário de Desenvolvimento Econômico Sérgio Barroso, durante solenidade na fábrica da Celulose Nipo-Brasileira (Cenibra), em Belo Oriente. 

“A operação do gasoduto representa o início de um novo tempo para o Leste de Minas e uma grande revolução que se avizinha pela utilização de uma nova matriz energética que irá beneficiar não apenas grandes indústrias, mas também pequenas e médias empresas, que empregam milhares de pessoas em todo o Vale do Aço”, afirmou Sérgio Barroso. 

Durante a solenidade, o presidente da Gasmig, Márcio Nunes, destacou que a empresa mais que dobrou sua rede de dutos nos últimos anos, atingindo cerca de 860 quilômetros de extensão. A Gasmig é atualmente uma das distribuidoras de gás natural de maior crescimento no Brasil. O volume de gás distribuído pela empresa, que, em 2003, foi de 381,3 milhões de metros cúbicos atingirá 662,7 milhões de metros cúbicos neste ano. Mais de R$ 1 bilhão foram investidos na expansão da malha de gasodutos e volume de distribuição de gás natural. 

A Cenibra será uma das empresas da região a utilizar a matriz energética. O empreendimento também tem entre seus principais clientes a Arcelor Mittal (João Monlevade), Arcelor Mittal Inox (Timóteo) e Usiminas (Ipatinga). Além de ser mais econômico, o gás natural é menos poluente, apresentando baixa emissão de resíduos tóxicos, o que contribui para a melhoria da qualidade do ar, sendo utilizado na indústria, comércio, residência e como combustível para automóveis.

Extensão total

O Gasoduto do Vale do Aço tem 331 quilômetros de extensão e as obras foram divididas em duas etapas. A primeira, com 53 quilômetros de rede, liga São Brás do Suaçuí a Ouro Branco e se encontra em operação desde 2006, atendendo também os municípios de Conselheiro Lafaiete, Congonhas, Ouro Branco e parte de Ouro Preto.

A segunda etapa, de Ouro Branco a Belo Oriente, tem 278 quilômetros e passa por Ouro Preto, João Monlevade, Timóteo e Ipatinga, entre outros municípios. As obras geraram cerca de dois mil empregos

Novas obras

Até 2012, o gasoduto deverá chegar a Governador Valadares, a partir da ampliação em mais 70 quilômetros de duto. O processo de licitação para o projeto executivo dessa nova etapa está em andamento, como informou o secretário. 

Sérgio Barroso anunciou também que a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), com interveniência do Governo de Estado, vai assinar acordo com a Petrobras, nos próximos dez dias, para construção de um gasoduto ligando São Carlos (SP) a Uberaba, o que viabilizará a implantação de uma fábrica de amônia na cidade do Triângulo Mineiro. Os investimentos totais para a construção do gasoduto e da planta industrial devem chegar a R$ 4,6 bilhões, dos quais R$ 600 milhões serão desembolsados pela Cemig e o restante pela Petrobras.

Expansão

Criada em 1986, a Gasmig é uma empresa controlada pela Cemig. É a distribuidora exclusiva de gás natural canalizado em todo o território mineiro, por outorga de concessão pelo Estado de Minas Gerais, atendendo aos segmentos industrial, comercial, residencial, gás natural comprimido, gás natural liquefeito, automotivo e termelétrico.

A empresa está presente em cerca de 40 municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte, Vale do Aço, Sul de Minas, Mantiqueira, Campo das Vertentes e região Central do Estado.  O número de clientes atendidos pela Companhia chega a 280, incluindo 98 grandes indústrias, 90 postos de distribuição de gás natural veicular e duas usinas termelétricas (Ibirité e Juiz de Fora).

A Gasmig está se preparando para ingressar no segmento de distribuição de gás natural para consumidores residenciais e pequenos comércios urbanos, iniciando a oferta por Poços de Caldas (Sul de Minas) e alguns bairros de Belo Horizonte. Os contratos de suprimento de gás a longo prazo com a Petrobras garantem o abastecimento do mercado atual e de toda a expansão planejada para Minas Gerais até o ano de 2026.

No primeiro semestre deste ano, a rede da Gasmig foi acrescida em 110 quilômetros com a conclusão do Gasoduto Sul de Minas que atende aos municípios de Jacutinga, Poços de Caldas, Andradas e Caldas. Essa rede, com capacidade para fornecer 25 milhões de m³/mês à região, tem como principais clientes indústrias de alumínio, mineradoras, cerâmicas e indústria de vidro (cristais).

Acordo de associação

Em 2004, a Cemig e a Petrobras assinaram acordo para viabilizar a participação da Gaspetro no capital da Gasmig. Os investimentos atuais são resultados desse acordo, que prevê a ampliação do mercado de gás natural em Minas Gerais.