Lula suspende viagens e inicia tratamento hoje

A primeira sessão de quimioterapia do tratamento de Lula 
contra o câncer na laringe acontece hoje, em SP.  

A única aparição pública de Lula ontem
foi no momento em que brincava com o
neto na varanda de seu apartamento. 
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva suspendeu sua agenda de viagens nacionais e internacionais dos próximos três meses para se dedicar ao tratamento do câncer diagnosticado em sua laringe. Os compromissos estão cancelados até o fim de janeiro de 2012. 

O ex-presidente começa hoje, às 9h, o tratamento médico. Ele passará o dia todo no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde permanecerá internado até terça-feira pela manhã. Para hoje, está marcada a primeira sessão de quimioterapia destinada a combater o tumor. 

Ontem, em seu apartamento em São Bernardo do Campo, São Paulo, Lula evitou os amigos, mesmo os mais íntimos, e cercou-se da mulher, Marisa Letícia, dos filhos e dos netos. Não perdeu o bom-humor e as tiradas que marcam sua trajetória. 

No sábado, ao ter a confirmação de que o tratamento contra o câncer pode fazê-lo perder o cabelo e a barba, reclamou, lembrando que terá em fevereiro, no carnaval, um compromisso inadiável: o desfile da escola de samba Gaviões da Fiel, do Corinthians, seu time do coração. 

Recluso, Lula evitou até a varanda do apartamento, de onde sempre vê o movimento na rua e na quadra de futebol ao lado do prédio. Sua única aparição foi num relance, flagrado pelos fotógrafos, em que ele brincava com o neto Pedro, de um ano e dois meses. 

A única visita ontem foi a do médico pessoal do ex-presidente, o cardiologista Roberto Kalil, diretor de cardiologia do hospital Sírio-Libanês. Kalil fez uma visita de meia hora. Ao sair, o médico disse que Lula estava extremamente bem humorado e confiante. Kalil disse não poder avaliar se a doença irá prejudicar a participação de Lula na articulação política do Partido dos Trabalhadores. 

O médico Luiz Paulo Kowalski, que faz parte da equipe do Sírio-Libanês que cuida de Lula, disse que o câncer do ex-presidente tem como causas o tabagismo e a herança genética. A doença levou à morte dois de seus irmãos.