Períodos no estudo da pediatria Canina e Felina

  • - Pré-natal (Ate o parto no cão e no gato)
  • - Neonatal (De 0 a 2 semanas no cão / De 0 a 10 dias no gato)
  • - De transição (De 2 a 4 semanas no cão / De 10 a 21 dias no gato)
  • - De socialização (De 4 a 12 semanas no cão / De 3 a 8 semanas no gato)
  • - Juvenil (De 12 semanas a puberdade no cão / De 8 semanas a puberdade no gato)

CARACTERISTICAS PRINCIPAIS DO PERIODO DE TRANSIÇÃO:

Enquanto para limitar o período neonatal nos referíamos a abertura dos olhos, o limite do período de transição pode ser considerado a erupção dos incisivos caninos decíduos (dentes de leite) ou também quando a audição se torna adequada.

Os filhotes neste período começam a explorar seu redor, iniciam as primeiras brincadeiras e dormem menos. A frequência que os filhotes mamam diminui progressivamente, porem a nutrição continua exclusivamente associada a mãe que entretanto, começa a dificultar o acesso dos filhotes ás mamas iniciando assim a conduta instintiva ao desmame. Ainda dependem do estimulo materno para defecação e micção (De fato na terceira semana eles já defecam e urinam por si so, porem o reflexo permanece até a 4 - 6 semanas.) Eles também iniciam a vocalização.

Entre a segunda e a terceira semana, aparecem os incisivos e caninos decíduos nos gatos e na quarta semana completa-se a dentição decídua. No cão esses dentes decíduos aparecem ao redor da quarta semana.

Entre a terceira e quarta semana os testículos do cão descem para o saco escrotal.

A partir da terceira semana e muito importante que os filhotes experimentem todo tipo de influência e estímulos (Barulhos, animais, crianças, adultos, etc.) caso contrario isso será prejudicial ao posterior desenvolvimento do animal.

Aos 21 dias a mãe começa a castigar os filhotes o que é mais evidente a partir do primeiro mês. Isso é fundamental na educação do filhote. Pode ate causar espanto ao proprietário ver a mãe atuando energicamente e ate com violência as vezes sem motivo aparente ate com alguns dos filhotes. Não se deve interferir nunca pois se trata de um mecanismo fundamental no aprendizado da hierarquia e submissão.


Sandro Eduardo de Almeida, natural de Varginha, medico veterinário graduado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro no ano de 2000, proprietário da Clinica Veterinária Cão e Cia.