Marcas em GPS: A busca pela fidelização de clientes

Nos filmes de agentes secretos, rastreadores são colocados nas pessoas e nos automóveis para distâncias serem calculadas, de acordo com as coordenadas geográficas. Não temos (ainda) chips integrados, mas a partir de um computador conectado à internet, podemos encontrar vários locais. A geolocalização está mais presente em nossas vidas do que imaginamos, isso é fato, por meio do GPS, sigla para o Sistema de Localização Global. A partir da união de coordenadas de latitude e longitude, qualquer pessoa pode ser encontrada no globo terrestre com a ajuda de satélite que ficam em órbita no Planeta Terra. Lá trás, o GPS era sinônimo de modernidade e alto custo. Atualmente, essa tecnologia está em celulares, automóveis, relógios de pulso e no bolso de pessoas dos mais variados poderes aquisitivos.

Muito utilizado principalmente nas grandes cidades, o GPS se tornou um acessório indispensável para todas as “tribos”. Além de apontar a direção correta, a ferramenta tem apresentado outra novidade: a propaganda de marcas.

No trânsito, por exemplo, é comum que muitas pessoas busquem, em seus aparelhos, caminhos alternativos para fugir do engarrafamento, correto? De repente, uma mensagem chega ao aparelho do indivíduo: “Está com fome?” – e logo em seguida a indicação de uma lanchonete bem próximo de onde essa pessoa está. Durante o trajeto, é está cada vez mais comum nos depararmos com dicas de onde parar para tomar um café, um sorvete, ir ao cinema e até mesmo abastecer o veículo. Tudo é feito com base no local em que o usuário está localizado.

Essa iniciativa, muito forte no exterior, vem ganhando espaço no Brasil e a probabilidade é que esses anúncios geolocalizados cresçam – e muito. Qual empresa não tem interesse em se “marcar” no mapa e fazer ofertas de acordo com os potenciais clientes? Logo estaremos passando próximos a um restaurante, recebendo o cardápio e ainda as promoções do dia. Essa nova tendência nos mostra que as marcas estão apostando – e muito - na fidelização dos clientes.

Um cliente “na porta” de qualquer estabelecimento costuma ser um excelente sinal, ainda mais se ele concretizar a compra. Entretanto, o mais importante para um negócio que visa o sucesso é que esse cliente volte a comprar o seu produto ou serviço. Por isso, a fidelização é fundamental. Algumas dicas para as empresas que querem investir nesse novo cenário são: conhecer a clientela, individualizando-a, registrando os contatos feitos e armazenando os históricos de compras. É aconselhável também explorar mais informação, por meio de seu perfil, com formulários completos que podem ser preenchidos na hora de se oferecer um brinde, por exemplo.

Outra dica é estabelecer vínculos, seja no mundo físico ou virtual, permitindo sempre que o cliente possa registrar sugestões ou reclamações. Todas as novidades relacionadas ao seus produtos e seus serviços, ou seja, a sua marca, podem interessar aos consumidores. É importante explorar a comunicação pelas redes sociais como twitter, facebook, instagram, entre outros.

Quando uma empresa “pensa” em se comunicar por meio das redes sociais ou GPS ela não deve simplesmente criar um “perfil” e sair divulgando imagens promocionais. Para ter sucesso com as novas tecnologias é preciso, antes de mais nada, envolver os usuários e, principalmente, contar com eles como aliados. Este é o mais recente recurso à todas as empresas com o intuito de criar identidade às suas marcas.


Por Dra. Maria Isabel Montañes - advogada da Cone Sul Assessoria Empresarial, especialista em marcas e patentes há mais de 25 anos, membro da Associação Paulista dos Agentes da Propriedade Industrial – ASPI e da Associação Brasileira em Propriedade Intelectual – ABPI, mediadora de conflitos em propriedade industrial pela ABPI.