Polícia encontra carro que fugiu de blitz e causou acidente em Varginha

A Polícia Civil de Varginha encontrou um veículo que pode ser o que foi utilizado por um motorista durante a fuga de uma blitz que provocou a perseguição pelas ruas da cidade no dia 16 de março. Na ocasião, um motociclista foi atingido e três pessoas que estavam na calçada foram atropeladas por uma viatura da Polícia Rodoviária Estadual. Três pessoas morreram dias após o acidente. A morte mais recente aconteceu na segunda-feira (14).

O carro está apreendido no pátio da Polícia Civil. Segundo o delegado, Antônio Carlos Butgnon, um dos policiais que estava na perseguição confirmou ser o veículo que escapou da blitz. “O próximo passo agora é encontrar o condutor do veículo”, afirmou o delegado.

O acidente

Segundo a polícia, os militares faziam uma blitz rotineira na MG-167, próximo à passarela de pedestres, na manhã do domingo, dia 16 de março, quando um carro não obedeceu ao sinal de parada e fugiu. A viatura seguiu em perseguição ao veículo. No cruzamento da Avenida Plínio Salgado com a Rua Dr. Antônio Francisco de Oliveira, no bairro Bom Pastor, o carro da polícia rodoviária atingiu um motociclista que estava na rua e então invadiu a calçada, onde três pessoas conversavam.

Os dois militares que estavam no carro da PMR foram levados para o Hospital Humanitas no domingo, mas liberados no mesmo dia. Um deles foi atendido com lesões na cabeça e em um dos braços e o outro sofreu uma lesão na perna.

As outras quatro pessoas foram levadas para o pronto-atendimento do Hospital Bom Pastor. Três foram transferidas posteriormente para o Centro de Terapia Intensiva do Hospital Regional de Varginha. A Polícia Civil abriu inquérito na segunda-feira, dia 17 de março, para apurar as causas do acidente.

Mortes

O motociclista Ferdinando Balbino, de 37 anos, morreu no dia 23 de março depois de ficar internado em estado grave por uma semana no CTI do Hospital Regional. Já Marcos Antônio Silvério, de 57 anos, que estava internado no Hospital Regional em estado grave desde o dia do acidente, morreu na tarde do dia 6 de abril. O homem, que ficou preso embaixo do carro da polícia, fraturou sete costelas, o braço, a bacia, a perna esquerda e teve que amputar a direita. Silvério estava em coma induzido.

A terceira vítima do acidente morreu no dia 14 de abril. Wanderlei Valeriano de Souza, de 51 anos, estava internado no Hospital Regional, mas não resistiu aos ferimentos.

Outra vítima do acidente permanece internada. José Luiz Anacleto de 61 anos, mais conhecido como Pelé, trabalhava em uma borracharia e estava conversando com os amigos na calçada. Ele quebrou as pernas, passou por cirurgias e ainda está em tratamento devido a uma infecção na perna. O quadro de saúde dele é estável, mas não existe previsão de alta.