Queda do nível de Furnas atrapalha a vida de pescadores no Sul de Minas

Nível está cerca de 10 metros abaixo do limite máximo de 768 metros. 
Volume útil está em 19%, devido à necessidade de geração de energia.

A baixa do nível do Lago de Furnas tem atrapalhado a pescaria de quem gosta de passar o tempo às margens do reservatório. No feriado de sexta-feira por exemplo, os peixes não apareceram. A vida dos pescadores ainda estava tão difícil, que além da escassez de peixes, eles ainda tiveram que disputar o que tinham com as garças.

"Está difícil pescar, só tem peixe miúdo. Esse lugar não era assim não, está parecendo um campo de futebol", relata o comerciante Jésus de Carvalho, que saiu de Camanducaia (MG) com mais cinco amigos para pescar.

A situação do Lago de Furnas neste período é a mais crítica dos últimos 13 anos. O nível está cerca de 10 metros abaixo do máximo, que é de 768 metros acima do nível do mar. O atual nível corresponde a apenas 19% do volume útil do lago, que banha 34 cidades em todo o Sul de Minas. Segundo a Associação dos Municípios do Entorno do Lago de Furnas (Alago), a previsão é de que a situação volte ao normal em dois anos.

Em março, o nível da represa estava em 31,69%, mas dias depois, caiu para 30,93% e agora está com 19%. A queda acontece devido à necessidade de geração de energia por parte da Hidrelétrica de Furnas. O recuo acontece na contramão do que é previsto para esta época do ano. Normalmente, entre outubro e abril, as chuvas são abundantes, o que favorece o Sistema Elétrico Nacional.