Após 2 semanas, desaparecimento de tenente é mistério

Segundo familiares, que vivem em
Varginha, não há pistas da militar.
A família da tenente da Aeronáutica Mirian Márcia Tavares, de 42 anos, que desapareceu em Belo Horizonte no dia 3 maio ainda aguarda por notícias da militar. Segundo a Delegacia de Localização de Pessoas Desaparecidas da Polícia Civil, Mirian é procurada em Minas Gerais e outros três estados. Nesta sexta-feira (16), a médica da tenente estava sendo ouvida pelo delegado que cuida das investigações.

Apesar do forte apelo da família, que busca notícias da militar através de postagens nas redes sociais, ainda não há novas informações. Míriam é natural de Três Corações e os familiares vivem em Varginha.

"O sentimento é de angústia pela falta de pistas da Mirian é muito grande. Eu estou com o celular e notebook dela rastreando na tentativa de achar alguma coisa e a única novidades desta semana e que existe uma busca no GPS dela para Brumadinho(destino recente), na região metropolitana de BH. Passei informações para a polícia, mas até o momento nada, nenhuma pista ainda. Estamos buscando câmeras de segurança particulares em pontos estratégicos para tentar localizar o carro mas até agora nada também. Um verdadeiro mistério", disse o irmão da tenente, o jornalista Pérsio Tavares.

Conforme a família, Mírian teria saído de casa apenas com a roupa do corpo e o carro de propriedade dela, um Pálio cinza escuro, com placas de Varginha, no sábado dia 3 de maio. O desaparecimento foi descoberto apenas dois dias depois, quando uma amiga que divide o apartamento com a tenente encontrou uma carta da tenente dizendo que ela iria para a estrada. Desde então, helicópteros da Polícia Civil e da Aeronáutica fizeram buscas pelas serras do Cipo, das Mangabeiras, do Macaco e também por rodovias de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia. No entanto, nada foi encontrado.

Na semana passada, uma denúncia dizia que uma pessoa viu uma mulher com as características de Míriam na região da Serra do Cipó, mas a informação foi descartada após apuração.

"As investigações até o momento não avançaram em nada devido à falta de pistas. Converso com o investigador da  todos os dias mas nada de informações. A aeronáutica tem acompanhado e dado apoio. Oficialmente o Exército não está à procura, mas seus amigos oficiais do Exército têm montado verdadeiras forças-tarefas para ajudarem na localização", completa o irmão de Míriam.