Dia Nacional de Luta Antimanicomial 2014

CONVOCATÓRIA

Todos os anos, no dia 18 de Maio, Dia Nacional de Luta Antimanicomial, os trabalhadores de Saúde Mental de todo Brasil, juntamente com pacientes e familiares, convidam a todos para participar das comemorações da data mais importante do movimento iniciado no final da década de 70, que retirou o manicômio como primeiro e único recurso de tratamento e substituiu a assistência por serviços abertos, como o CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) possibilitando ao paciente resgatar sua cidadania e seus laços de pertencimento.

Este ano o Fórum Municipal Intersetorial de Saúde Mental composto de trabalhadores da Saúde, Assistência Social, Educação e Judiciário se uniram para organizar um simpósio que possibilite a discussão da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS).

Se algumas vozes arvoram a Rede como uma novidade, faz-se necessário apontar desde já o equívoco, pois o CAPS nasceu em rede e nunca em tempo algum foi, é ou será possível conceber a Atenção Psicossocial sem que ao mesmo tempo tenhamos a dimensão de Rede. O CAPS, diferentemente do que muitos apregoam, não é um serviço especializado (pois todo especialismo ou especialidade ou ainda especialização são avessos à lógica da Atenção Psicossocial. O CAPS tem sim uma especificidade) dentro de uma Rede que está sobre ele. O CAPS tão pouco está sobre a Rede exercendo um poder central ou centralizador. Ele é o ordenador e o articulador desta Rede. É o norte, o guia, o dinamizador das ações do território fazendo a Rede se movimentar à medida que convoca e ativa as ações necessárias em cada caso. Seu poder, força, potência vem de cumprir este mandato. Podemos dizer que o CAPS é como um relé, que devidamente ativado, provoca o funcionamento dos aparelhos de um determinado circuito territorial. A Rede ao conceber o território precisa visualizá-lo para além de um recorte geográfico levando-se em conta os laços singulares que cada sujeito vai tecendo nesse espaço, espaço este que está para além das instituições, já que é também intersubjetivo. Se a clínica estiver ausente, se a clínica for surda à palavra do sujeito, o território será construído a partir dos interesses dos técnicos ou motivado pelo desejo de atender ao que se supõe ser o bem para aquele sujeito. Um território “clinicizado” será um território que vem a existir a partir da palavra do sujeito.

No atual cenário brasileiro das políticas públicas de Saúde Mental, com o incentivo pelos gestores das O.Ss (Organizações Sociais), da internação compulsória para o uso abusivo de drogas, do investimento financeiro nas comunidades terapêuticas e o sucateamento dos CAPS  como podemos seguir tecendo a rede?

Convidamos a todos para esta importante discussão.

PROGRAMAÇÃO

-7h30 às 8h00min - Inscrições e credenciamento

-8h00min às 8h30min - Apresentação Cultural

-08h30minh às 9h00min – Mesa de Abertura
.Antônio Silva – Prefeito Municipal
.José Antônio Valério – Secretário Mun. de Saúde
.Lourdes Orozimbo - Ref. Téc. Reg. de S. Mental
.Rejane T. Rodrigues -Coord. Mun.Saúde Mental
.Maria José Meirelles - Coordenadora do CAPSi
.Reinaldo de Oliveira - Coordenador do CAPSad
.Vanda Maria Rodrigues – Coordenadora do CAPS

-9h às 09h45min - Conferência: “A rede na roda... ê ê hoje tem arrastão?”
.Ministrante: Rodrigo Chaves Nogueira
Referência Técnica de Saúde Mental (Brumadinho-MG). Integrante da equipe de Saúde Mental Infanto - Juvenil (Betim-MG)
.Coordenação da Mesa:
Valdene Amancio – Supervisora Clínica CAPSi
.Debatedores:
Cristina R. V. Souza - Assistente Social TJMG
Luciano Elia - Supervisor Clínico ABRAÇO/CONVIVER 
Maria Fernanda da Cunha - Assistente Social CREAS
            
-09h45min às 10h15min – Perguntas dos debatedores e do público

-10h15min às 10h30min - Intervalo para Café

-10h30min às 11h15min- Conferência: “Cuidar sem excluir”
.Ministrante: Oscar Cirino
Integrante da equipe do Centro Mineiro de Toxicomania (Belo Horizonte – MG). Psicanalista. Mestre em Filosofia (UFMG). Autor do livro "Psicanálise e Psiquiatria com Crianças", co-autor e co-organizador dos livros "Psicóticos e adolescentes: por que se drogam tanto? " e "Álcool e outras drogas: escolhas, impasses e saídas possíveis".
.Coordenação da Mesa:
Renata Brandão - Psicóloga Policlínica Central
.Debatedores:
Karen Rabelo – Coordenadora Programa ENVELHESER
Marianela Fortunato - Presidente ABRAÇO
Reinaldo de Oliveira - Coordenador CAPSad   
                                         
-11h15min às 11h45min – Perguntas dos debatedores e do público

-12h00 às 14h00min – Intervalo para almoço

-14h00min às 14h45min – Conferência: "CAPS e cuidado ao usuário grave de Saúde Mental na Rede”
.Ministrante: Ana Maria Thomé
Coordenadora do CAPS Adulto II Brasilândia (São Paulo - SP). Psicóloga pela Universidade Luterana do Brasil. Mestranda em Ciências da Saúde pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.
Coordenação da Mesa:
Rosana Frota – Psicóloga CAPS               
.Debatedores:
Anderson Furtado - Psiquiatra CAPS
Eveline Ribeiro - Psicóloga NASF Sul 
Fernanda Lopes - Psicóloga Policlínica B. Pastor 
                             
-14h45min às 15h15min – Perguntas dos debatedores e do público

-15h15min às 15h30min - Café

-15h30min às 16h15min – Conferência: “Lugar de autista e de paciente grave é no CAPSi”
.Ministrante: Matheus Dias Oliveira
Integrante da equipe do CAPSi Pequeno Hans (Rio de Janeiro – RJ). Psicanalista. Membro do Laço Analítico Escola de Psicanálise. Mestre em Pesquisa e Clínica em Psicanálise pela UERJ.

.Coordenação da Mesa:
Paola Cachero Lino – T.Ocupacional CAPSi                    
.Debatedores:
Losane Menezes - Psicanalista do CONVIVER
Nadia L. Xavier -  Psicóloga do CAPSi                                        
Roberta Barbosa - Coord. Mun. Educação Especial

-16h15min às 16h45min – Perguntas dos debatedores e do público

-16h45min às 17h00min – Encerramento


Realização:
Prefeitura Municipal de Varginha, CAPS, CAPSad e CAPSi
Fórum Municipal Intersetorial da Rede de Atenção Psicossocial

Comissão Organizadora:
Anderson José de Souza - CAPS
Fernanda de C. Lopes - Policlínica B. Pastor
Juliana Pimenta Santiago Bueno – CAPS
Maria José Ribeiro Meirelles - CAPSi
Paola Cachero Lino - CAPSi
Reinaldo Batista Oliveira - CAPSad
Renata R. B. Brandão - Policlínica Central
Sandra Regina Bueno - CAPSad
Valdene Rodrigues Amancio - RAPS
Vanda Maria Rodrigues - CAPS

Apoio:
-Associação Médica de Varginha
-Conselho Regional de Psicologia 4ª Região.
-FADIVA

Entrada Franca

Informações e inscrições antecipadas nos CAPS:

-CAPS (Centro de Atenção Psicossocial)
Rua Aristides Paiva, 20 - Vila Paiva
Tel: (35) 3690 - 2313/ 3690 - 2228

-CAPSad (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas)
Travessa Dona Emília, 14 - Centro
Tel: (35) 3214 - 8927

-CAPSi (Centro de Atenção Psicossocial Infância e Adolescência)
Rua Maria Antonieta, 277     - Bom Pastor
Tel ; 3690 - 2236


IV Simpósio Regional de Saúde Mental:
“Tecendo a Rede de Atenção Psicossocial”

Em comemoração ao 18 de Maio:
Dia Nacional de Luta Antimanicomial

Arte: Juliana Pimenta Santiago Bueno

30 de Maio de 2014

Local: Auditório da FADIVA
Rua José Gonçalves Pereira, 112 - Vila Pinto Varginha - MG.