Ocorrências caem quase 30% após instalação de radares na Fernão Dias

Os recém-instalados radares da Rodovia Fernão Dias, no trecho do Sul de Minas, já reduziram quase 30% o número de infrações e acidentes provocados por excesso de velocidade. Em fevereiro foram registradas 200 mil infrações e em abril o número caiu para 145 mil em toda rodovia. Entretanto, os equipamentos ainda não garantem a aplicação de multas aos condutores por causa da falta de assinatura de um convênio entre órgãos como Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), Polícia Rodoviária Federal e a concessionária que administra a autopista.

Segundo o diretor da concessionária que administra a rodovia, Helvécio Tamm, os radares foram instalados conforme o cronograma da concessão. “A parte da empresa foi feita, os aparelhos estão instalados e funcionando. As multas ainda não são enviadas, uma vez que há a necessidade de assinatura de um convênio entre a ANTT, a Polícia Rodoviária Federal e a concessionária, que ainda não foi concluído”, explicou.

Na região, sete radares foram instalados nas cidades de Santo Antônio do Amparo, Carmo da Cachoeira, Estiva, Cambuí e Camanducaia, mas os equipamentos ainda não são utilizados na aplicação de multas, porém tem inibido muitos motoristas, que na dúvida, preferem reduzir a velocidade. “Eu presto mais atenção e dirijo com mais cautela”, disse o motorista Edilson Luis Gonzaga.

Quem também comenta os benefícios dos radares, mesmo sem as multas, é o lavrador Gonçalo de Paula, que vive em Camanducaia. “Os aparelhos fazem o pessoal vir mais devagar aqui no trecho”, comentou.

Por outro lado, sem a aplicação de multas, tem gente que diz que vai correr mais na estrada. “Eu vou correr mais na estrada, até uns 90 km/h, porque tem que lugar que tem que frear até para 60 km/h”, disse.

Contudo, para tentar inibir um pouco mais esta prática, a Polícia Rodoviária Federal faz operação com radares móveis, como binóculos que registram a velocidade com precisão.