Reparador de roturas

Em texto anterior, apontei que algumas pessoas se julgam acima de qualquer suspeita e, portanto, em condições de censurar, advertir e condenar aqueles a quem consideram pecadores, sem levar em conta que podem estar destruindo vidas que o Senhor deseja resgatar.

No primeiro capítulo de Lucas, em seu versículo 37, podemos ler que nada é impossível para Deus. Realmente, ele é mestre em reaproveitar pessoas comprometidas e transformá-las: Abraão, o mentiroso (Gênesis 12.13) em homem de fé; Moisés, o assassino (Êxodo 2.12) naquele que deu a lei; Davi, o adúltero (2 Samuel 11.2-5) no homem segundo o coração de Deus; Pedro, que negou Cristo (Mateus 26.69-75), na rocha; Paulo, o perseguidor (Atos 8.3), no evangelista. Nunca sabemos quem o Senhor deseja transformar em nova criatura, por isso não devemos desprezar quem quer que seja. Todos têm direito a uma nova chance quando Deus assim entende; e isto é com ele, não conosco.

Em Gálatas, capítulo 6, versículo primeiro, está escrito: “Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais, deverão restaurá-lo com mansidão. Cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado.” Ora, estamos sujeitos aos mesmos erros, portanto, precisamos auxiliar os irmãos que erram e tomar cuidado para não cairmos, também nós, em tentação.

A restauração proveniente de Deus acontece devido a sua grande compaixão pela humanidade. Jeremias, em seu capítulo 33, versículo 6, menciona: “Todavia, trarei restauração e cura para ela; curarei o meu povo e lhe darei muita prosperidade e segurança.” Logo adiante, no versículo 8, podemos ler: “Eu os purificarei de todo o pecado que cometeram contra mim e perdoarei todos os seus pecados de rebelião contra mim.” O Senhor deseja a conversão do pecador, para que possa realizar maravilhas através dele. Quanto mais difícil a causa, maior satisfação há; pois Deus pode manifestar todo o seu poder.

Há muitas pessoas dilaceradas pela dor, transtornadas pela aflição, angustiadas pelo medo. Pessoas que precisam ter sua vida renovada através do amor e misericórdia divinos. Elas não sabem a quem recorrer ou procurar, perdidas dentro de seu ceticismo e dúvidas. Revoltam-se com a própria sorte e amaldiçoam os mais favorecidos, como se isso ilusoriamente pudesse lhes trazer algum benefício. Sofrem. Necessitam do reparador de roturas. Aquele que pode todas as coisas, e que intercede em favor dos humildes e puros de coração. 

Restaurar uma vida* requer muito amor ao próximo. Às vezes, é preciso trabalho árduo e oração incessante até alcançar a graça de Deus. Devemos nos servir das pessoas que o Senhor capacita para nos auxiliar nos momentos difíceis, já que ele mesmo não possui outras mãos que não sejam as nossas para atender ao próximo em suas necessidades.

Pessoas aparentemente sem instrução e preparo podem ser de grande serventia para Deus. Não devemos julgar pela aparência, pois nem sempre os que parecem ser mais preparados realmente o são. No capítulo 2 de Gálatas, versículo 6, lemos: “E, quanto àqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, não se me dá; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me comunicaram”.

Assim, deixemos que o reparador de roturas se sirva das pessoas que verdadeiramente necessita para sua obra, sejam elas quais forem, venham de onde vierem, pois ele conhece cada um, e a cada um dá o talento que deseja ver compartilhado entre os seus. “E os que de ti procederem edificarão as antigas ruínas; e levantarás os fundamentos de geração em geração; e chamar-te-ão reparador das roturas, e restaurador de veredas para morar” (Isaías 58.12).


Maria Regina Canhos
(Escritora)

www.mariaregina.com.br
mariaregina.canhos@gmail.com