Em pauta é... COMO NÃO VOTAR EM CORRUPTOS

A menos 40 dias de os brasileiros irem às urnas, milhares de candidatos estão de olho no seu voto, que vai definir os rumos de Minas Gerais e do país nos próximos quatros anos. O desafio é escolher quem merece recebê-lo entre os 11 postulantes a presidente, sete a governador, oito a senador, 695 a deputado federal e 1.198 a deputado estadual. Muita gente não é? No início do mês, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) fez um primeiro filtro e barrou 173 registros de candidaturas, quase 10% do total, situação que não ocorre a muito tempo, hoje temos essa realidade graças a Joaquim Barbosa e demais grandes nomes honestos que estão buscando à cada dia que passa, a melhor qualidade na prestação do serviço público dentro da justiça brasileira. Vale ressaltar que as razões foram desde analfabetismo até candidatos fichas-sujas, motivo de 12 indeferimentos.

A internet é a principal aliada na fuga contra maus políticos. Vários sites reúnem informações sobre patrimônio, ficha criminal e histórico dos postulantes. No caso dos veteranos na carreira política, a consulta a portais das casas legislativas, tribunais e conselhos pode indicar se o candidato se revelou um bom ou mau ocupante do cargo. O primeiro passo é consultar o portal do TRE-MG, de acordo com o juiz do foro eleitoral de Belo Horizonte Carlos Henrique Perpétuo Braga, (diretor-executivo da Escola Judiciária Eleitoral).

A seção Divulgação de Candidaturas (DivulgaCand2014) concentra toda a documentação do postulante. De acordo com o mesmo juiz, "O eleitor pode consultar certidões e ver se o candidato não se envolveu em processos, se tem condenações por improbidade administrativa. Pode acontecer de encontrar alguma notação positiva”.

Vale lembrar que é o próprio eleitor quem deve questionar se votaria em um candidato com condenação em primeira instância e que está recorrendo. A existência de candidatos com condenações em processos ocorre porque a Lei da Ficha Limpa, aplicada pela primeira vez em eleições gerais, só impede a candidatura de políticos condenados por órgãos colegiados em segunda instância.

O eleitor precisa realizar o acompanhamento processual do perfil de cada candidato, é possível que o eleitor verifique como está o registro de candidatura do candidato. Vários promotores já prestaram depoimentos relatando que em inúmeras situações impugnaram a candidatura mas os registros, mesmo assim, foram deferidos. Hoje existem vários processos que estão tramitando na justiça e que os promotores estão recorrendo dessas "autorizações". Outra ação importante que também pode auxiliar muito aos eleitores nessa "grande jornada" que é em quem votar, são os debates. Assistam os debates, discutam sobre os candidatos com a família, amigos e colegas de trabalho e ainda consultem os sites dos partidos políticos. Vale sempre lembrar que é muito importante conhecer a trajetória e o estatuto dos partidos, saber com quem o partido do candidato está se aliando.

Sites e redes sociais contra armadilhas

Não podemos nos deixar levar pelas propagandas, que podem funcionar como “armadilhas muito bem arquitetadas”. Para fugir desse artifício, a dica é informação. Uma ideia bacana é entrar nos sites do Legislativo e do Executivo, quando os candidatos já forem veteranos, ou seja, já foram eleitos e ou ainda estão exercendo a "função". Já no campo legislativo, há tudo que um parlamentar fez ao longo do mandato. O eleitor deve se preocupar se o deputado cumpriu com suas funções. No campo executivo, é importante verificar quais foram os interesses prioritários (do gestor).

Seguir os candidatos nas redes sociais também pode ser uma ferramenta útil para o voto. Pois quase sempre elas se transformam em canais de debate, por meio das quais os eleitores podem questionar e buscar informação qualitativa. Vale ressaltar que a pesquisa tem que ser ainda mais cuidadosa, ou seja, muito mais completa, nas candidaturas de primeira viagem, aqueles candidatos que acham que só porque fizeram para a comunidade. Têm competência para representar o povo no Assembleia ou no Senado. Seria mais fácil se os partidos fossem mais criteriosos com quem põem em seus quadros, mas infelizmente isso não ocorre. A realidade é que muitos partidos usam de alguns para servirem de escada para outros.

Portanto meus queridos amigos e amigas, analisem, busquem informações, pesquisem, discutam e debatam de forma democrática sobre os candidatos. E depois reflitam sobre qual tem capacidade para ajudar você e sua família a terem uma qualidade de vida melhor, uma mesa mais farta, um estudo melhor para você e seus filhos.  A pergunta principal é... Qual deles é merecedor da sua confiança e de sua família? Pense nisso antes de votar.

Logo abaixo segue as 5 dicas principais

1) Desconfie quando algum candidato já exerceu algum cargo público e seu patrimônio cresceu muito.

2) Verifique o valor gasto na campanha do candidato, quem o está financiando

3) Procure saber se o candidato tem alguma condenação ou responde por processos criminais e cíveis.

4) Acompanhe os candidatos nos debates políticos, em redes sociais e no noticiário.

5) Procure conhecer a postura e ações do candidato antes, durante e depois das eleições

Onde pesquisar na internet?

Tribunal Regional Eleitoral - www.tre-mg.gov.br

Legislativo - www.senado.gov.br / www2.camara.leg.br / www.almg.gov.br

Excelências - www.excelencias.org.br

Conselho Nacional de Justiça - www.cnj.jus.br/acesso-a-justica

Tribunal de Contas - www.tcu.gov.br / tce.gov.br

Transparência - www.portaltransparencia.gov.br


Renan Lenzi Silva
Jornalista, Gestor Público pela UNICESUMAR, Concluinte de Matemática pela UFSJ e graduando em Engenharia Civil pelo UNIS
renanlenzisilva@gmail.com