Polícia prende segundo suspeito de esfaquear mulher em Varginha

A Polícia Civil de Varginha prendeu na manhã desta terça-feira (19) um homem suspeito de ter participado do esfaqueamento de uma mulher em julho no bairro Sion, em Varginha. Testemunhas do crime apontavam o homem de 35 anos como ajudante da mulher que atacou Rosilei Alcino, de 48 anos, e um mandato de prisão preventiva contra ele já havia sido expedido. O suspeito foi preso quando estava em um ponto de ônibus da cidade.

Na madrugada do dia 24 de julho, Rosilei Alcino foi encontrada caída próximo à Praça Marcos Frota. Com várias facadas, ela foi levada para o pronto-socorro da cidade e depois transferida para o Hospital Bom Pastor, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no dia 31 de julho. A principal acusada do crime, uma mulher de 27 anos, foi detida em flagrante.

Segundo a polícia, o homem preso nesta terça-feira é marido da agressora. Em depoimento, ele negou sua participação no crime e afirmou ter se limitado a empurrar a vítima contra o chão. O suspeito está preso e, ainda de acordo com os policiais, deve responder por crime doloso, quando há intenção de matar.

Crime

Uma mulher de 48 anos foi esfaqueada na madrugada de quinta-feira (24) no bairro Sion, em Varginha. A Polícia Militar informou que recebeu uma denúncia anônima por volta das duas horas da manhã, dizendo que uma mulher encontrava-se ferida próximo à Praça Marcos Frota. No local, a PM encontrou a vítima com ferimentos na cabeça e no pescoço. Em seguida, os policiais encontraram a suspeita, uma mulher de 27 anos, que confessou o crime.

Ainda segundo a PM, a vítima foi encaminhada para o pronto-socorro da cidade. A autora das facadas foi levada para a Delegacia da Polícia Civil e encontra-se detida no Presídio de Varginha.

Esse foi o segundo ataque que a vítima sofreu da mesma pessoa, conforme apuração da Polícia Civil. As duas mulheres começaram a se desentender há algum tempo quando estiveram internadas na mesma clínica de reabilitação por consumo de drogas. A autora das facadas acusa a vítima de furtar seus pertences. Depois que saíram da clínica, as duas se encontraram na rua e tiveram uma briga. Nessa ocasião, a vítima teve o rosto cortado.

A Polícia Civil também apurou que nesse primeiro desentendimento, as duas fizeram ameaças uma à outra. O reencontro terminou com a vítima esfaqueada.

G1