Preso suspeito de ser mandante de incêndio em ônibus em Varginha

Ontem à noite, em Varginha, denúncia anônima auxiliou a PM
 na prisão de jovem por tráfico de drogas, no Bairro Centenário.

Por volta das 23 horas, a Polícia Militar foi acionada através do 190 e por meio de denúncia anônima recebeu informações que um rapaz estaria em uma residência situada na Rua Oswaldo Valadão de Rezende com grande quantidade de drogas para comércio. De posse das informações, equipes militares se deslocaram ao endereço, e ao chegar depararam com o suspeito, Ruan, de 24 anos, que fugiu ao perceber a presença policial.

Os militares realizaram cerco bloqueio no quarteirão e capturaram o suspeito no quintal de uma residência na Rua Benedito Ribeiro de Moraes. Durante a fuga o autor dispensou alguns objetos, que foram apreendidos, tratando-se de 20 pedaços de maconha, 2 pedras brutas de crack, 82 pedras da mesma substância, prontas para comercialização, além de diversas embalagens plásticas. Com o rapaz ainda foram encontrados R$ 200,00 em dinheiro, que também foram apreendidos.

Durante o registro do fato ainda foi constatado que Ruan possuía mandado de prisão em aberto em seu desfavor. O jovem, que foi preso em flagrante delito, já é conhecido no meio policial e possui diversas passagens pela polícia, entre elas por ameaça, falsidade ideológica, infrações de trânsito, roubo, tráfico e uso de drogas. Após o ocorrido, Ruan foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil, juntamente com o material apreendido, onde sua prisão foi ratificada.

Suspeito de ser o mandante do crime em que um ônibus foi incendiado. Ele teria sido citado por dois jovens que foram detidos no domingo (17).

“Segundo os menores, um traficante teria fornecido a eles todo o material usado no crime. Ele teria mandado fazer isso em represália a uma ação policial”, disse o delegado de Varginha, Antônio Carlos Butignon.

O crime

Segundo a Polícia Militar, o motorista e a cobradora do ônibus foram surpreendidos por dois rapazes que fizeram sinal para que o veículo parasse e entraram como se fossem passageiros, mas em seguida anunciaram o assalto.  Os suspeitos de 19 anos e um menor de 17 anos entraram no ônibus armados com uma faca e segurando um galão de combustível. Antes que a cobradora pudesse entregar o dinheiro, eles atearam fogo no veículo.

 Segundo depoimento do motorista, após o anúncio do assalto, a cobradora do ônibus foi até o caixa pegar o dinheiro, mas neste momento, o menor espalhou gasolina pelo veículo e riscou um fósforo, começando um incêndio. A cobradora foi atingida pelas chamas, mas conseguiu sair do veículo com o auxílio do motorista.

A cobradora Ana Paula Lemes, de 30 anos, está internada em estado grave depois de ter ficado com 70% do corpo queimado. O motorista João Campos Neto, de 47 anos, teve queimaduras na cabeça, no rosto e nas mãos, e não corre risco de morte.

Suspeitos do crime

De acordo com o delegado Butignon, os suspeitos vão responder por latrocínio tentado, já que houve a tentativa de assalto seguida de tentativa de homicídio. Ainda segundo o delegado, os suspeitos já haviam sido detidos várias vezes por outros crimes. O menor de 17 anos teve a primeira passagem pela polícia em novembro de 2010, quando tinha 14 anos. Ele tem passagens por furto, lesão corporal, danos, uso de drogas, receptação, roubo, perturbação do sossego e agressão.

Já o maior, de 19 anos, envolveu-se com a polícia pela primeira vez em novembro de 2011, quando ainda era menor de idade. Ele tem passagens por lesão corporal, porte ilegal de arma branca, receptação, danos, infração contra patrimônio, tráfico de drogas, roubo e furto.

Prejuízo

A empresa Autotrans, proprietária do coletivo incendiado neste domingo, disse que só vai se pronunciar sobre o caso após a conclusão das investigações. O prejuízo pela perda total do ônibus foi de cerca de R$ 300 mil, de acordo com a direção da empresa.