Secretaria de Estado da Saúde suspende Campanha Antirrábica Animal

Em virtude da incerteza do cumprimento do cronograma de entrega de vacina antirrábica animal pelo Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado da Saúde decidiu por suspender a Campanha de Vacinação 2014.

Adequando-se a esta situação, o município de Varginha, através da Secretaria Municipal de Saúde, recomenda:

  • - Em caso de agressão por cães, gatos e outros, a pessoa exposta deve ser orientada a lavar o ferimento com água e sabão e procurar imediatamente assistência médica.
  • - Iniciar tratamento com a vacina contra a raiva humana, prescrita pelo médico conforme protocolo do Ministério da Saúde. 
  • - As vacinas estão disponíveis em todas as Unidades de Saúde, Pronto Atendimento e UPA. 

O Secretário Municipal de Saúde, José Antônio Valério, lembra que a  profilaxia da raiva humana é feita mediante o uso de vacinas e soro, quando os indivíduos são expostos ao vírus rábico através de mordedura, lambedura de mucosa ou arranhadura, provocada por animais transmissores da raiva.

A vacinação não tem contraindicação (gravidez, doença intercorrente ou outros tratamentos). As dúvidas devem ser discutidas no serviço de saúde junto com a equipe.
A vacina contra a raiva deve ser iniciada o mais rápido possível, conforme prescrição e a indicação do tratamento antirrábico humano, através da vacina, deve ser realizada, independente da história vacinal do animal agressor.

Observações em relação ao animal

Os animais (cães e gatos) deve ser observado pelo período de 10 dias. Não se deve matar o animal mas sim procure orientação no Centro de Zoonoses. Considera-se suspeito todo animal que apresentar mudança de comportamento e/ou sinais como agressividade sem motivo aparente, quando procura ambientes escuros (cantos escuros) ou apresenta sintomas associado à falta de apetite e outros.

Cuidados devem ser observados no manuseio do animal para evitar acidentes.  Em relação à agressão por outros animais domésticos (bovinos, ovinos, caprinos, equídeos, e suínos) são passível de tratamento profilático, uma vez avaliada as condições da exposição.
Os casos de agressão por animais silvestres, mesmo quando domiciliados devem receber tratamento.

NAS AGRESSÕES POR MORCEGOS, CONTATO E LAMBEDURA, 
PROCURAR DE IMEDIATO O SERVIÇO DE SAÚDE.

IMPORTANTE

  • - Em qualquer situação que envolva mordedura, arranhadura e lambedura por cães e gatos, procurar de imediato a Unidade de Saúde e Pronto Atendimento.
  • - Procure assistência médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receber tratamento medicamentoso se necessário.
  • - Em casos de animais suspeitos na rua e na residência acionar, o Setor de Zoonoses imediatamente, pelo telefone: 3690 2276.