Sonhos, projetos, objetivos... Você, o construtor das suas realizações!

1.No divã das meditações, inspiração, sonho, futuro...

Não é necessariamente o primeiro sonho que nos assoma que nos dá a independência e a autossuficiência desejada. Nossos sonhos se reciclam, qual ondas contínuas. Alguns são opacos e vazios; outros têm conteúdo e trazem a espuma alva das boas-novas. Há, portanto, o sonho certo no momento certo. Assim é a mente humana. Um sonho valioso pode até, de repente, ser substituído por um sonho genial.
Então evolua, renove-se, rejuvenesça, pois tudo à sua volta também evolui, se renova e rejuvenesce. Inspire-se. Permita-se um insight. Transforme o sonho antigo em moderno e o que era rascunho em definitivo – e queira o de menor dispêndio e de maior rendimento.
Por outro lado, evite ser definitiva a construção de um sonho, se você está a evoluir e a buscar o alvorecer de novos tempos. Olhe em vários ângulos, porque a mesmice lhe dá horizontes menores do que verdadeiramente pode conquistar. Desperte o pensamento, sonhe grande, e alargue os pontos cardeais da sua vida.
Deite-se, olhos no futuro, no divã das reflexões e dê asas à inspiração: de repente a porta do sonho se abre para um sol brilhante e você está com a mente escura e fechada...

Faça da inspiração um arco e lance seus sonhos no centro do seu universo!


2.Sonho, uma droga de efeito miraculoso...

Tenha ao menos um grande objetivo a alcançar na vida. E persiga-o. É salutar ter algo em mente e viver os dias moldando-o e dando-lhe formas; viver e sonhar são indivisíveis como corpo e alma.
Sonhar nos motiva, nos acende os ânimos, nos empurra para a construção de coisas espetaculares. A mente sem sonhos é escura e vazia e os passos do corpo sem rumo e guarida.
Então, não cerceie nem obste seu sonho, deixe-o fluir. Ele é uma droga aprazível que nos provoca alucinações longas e fascinantes. É lícita, de composição divinal, produzida mundialmente nos laboratórios da mente, cujos efeitos são benéficos e saudáveis.
Sua dosagem depende da intensidade do prazer que cada um quer se proporcionar. Para cada tamanho e viabilidade de sonho, a mente vai trabalhar e, com mil imagens, abduzir o corpo e levá-lo a viagens imemoráveis...
Todos nós, sem exceção, vivemos dopados ao longo da existência. A cada sonho construído novo sonho sobrepõe-se, qual vício recorrente...
Mas, cuidado! Como toda droga tem um ponto vulnerável. Há, pois, que controlar a dosagem para obter os efeitos desejados.
A busca desarrazoada de um objetivo pode causar, após expectativas fracassadas, sensação de baixa-estima e impotência, devendo-se fugir urgentemente da overdose - a obsessão...

Realizar nossos sonhos é, aos nossos olhos, realizar o maior espetáculo da terra!


Inácio Dantas
Do livro “Você, o construtor dos seus sonhos” – Editora Vozes