Confusões? Evite-as, e tenha dias tranquilos e uma vida melhor!

Evite confusão!
Não ofenda, não provoque, nem dê ouvidos a ofensas e provocações. Vire as costas. Fuja. Não colecione dissabores. Pense: “Não é comigo” e distancie-se.
Economize confusão!
Se não puder, ao primeiro sinal dela mantenha a calma e em pé o equilíbrio da razão. Não avance para um mau desfecho e sim para a conciliação. A máxima diz que “mais vale um mau acordo do que uma boa demanda”.
Evite celeumas, tenham os motivos o valor que tiverem. Desavenças lhe darão muito a perder e nada a ganhar. Tampouco dê importância a ironias que possam derrubar seu bom astral.
Gaste seu precioso tempo em coisas que vão lhe proporcionar alegria e prazer. Seja partidário do sossego. Seu e dos seus.
Raciocine que é sempre um grande lucro perder um tostão do que enfrentar uma confusão!

Quando a humanidade se compreende o resultado é a harmonia entre as pessoas, a satisfação plena, a prosperidade.
Embora difícil, é simples o segredo para unir o mundo e deixá-lo fraterno: basta a compreensão.
Os elos da compreensão são feitos de ligas de aço maciço, extraídos das jazidas do amor. E podem ser moldados por milhões de mãos estranhas. Os elos unem pessoas de corações virtuosos e fecham-se em algemas indestrutíveis. Essas algemas não tem pátria nem bandeira, pois é obra universal.
A compreensão é como a boa semente em chão fértil: Propaga-se numa floresta do bem. Triplica-se, multiplica-se, toma o tempo, o espaço...
Viva feliz. Compreenda o próximo, faça-se compreender. Molde você também suas algemas da felicidade. 
Isso vale para uma pessoa, uma nação, o mundo!

Não desconte seus problemas nos outros. Para tudo há uma saída!
Ninguém tem culpa se as coisas para você não deram certo - se hoje seu dia foi improdutivo, amanhã poderá ser alvissareiro.
Todos nós temos nossas dificuldades, embaraços, etapas a cumprir. Às vezes planejamos bem e colecionamos um mal resultado. Ninguém acerta sempre, assim como os erros não são eternos.
Reorganize-se. Troque de ares. Busque arejar seu juízo para refrescar o discernimento. Não deixe detalhes mínimos conturbarem sua mente e trazerem problemas onde não tinha. Mas, ao surgirem, administre-os com técnica e paciência, sem que ninguém infira opiniões impróprias.
E não se esqueça jamais que Deus é fonte eterna de inspiração. Faça sintonia com Ele. Peça-Lhe, e Ele vai mostrar as portas onde estão as saídas que você procura!

Inácio Dantas
(do livro ® “Pequenas Lições de Sabedoria”)