Leonardo Ciacci homenageia Fundação Rocha Braga na Câmara de Varginha


A Fundação Rocha Braga foi homenageada na noite desta segunda-feira (4) na Câmara Municipal de Varginha. O presidente da Casa, vereador Leonardo Ciacci apresentou uma Moção de Aplauso onde destacou os relevantes serviços prestados pela fundação em prol da saúde da comunidade de Varginha e região. A homenagem foi aprovada por unanimidade e os vereadores fizeram questão de ressaltar a importância dos trabalhos prestados por todos os que ao longo dos anos integraram a fundação.

O vereador Leonardo Ciacci justificou a homenagem ressaltando que foi com a garra e empenho dos membros da Fundação que hoje Varginha pode contar com uma melhor estrutura na área da saúde. “A Fundação Rocha Braga teve início há mais de 40 anos com o objetivo primordial de construir um hospital de alto nível para beneficiar Varginha e região. No desenrolar dos anos e com a ajuda de muitas pessoas de bem se conquistou a construção do Hospital Humanitas que hoje atende à população de Varginha e região. É importante, então, deixarmos registrada aqui nossa gratidão a esses homens visionários que décadas atrás já pensavam em algo melhor para a atenção na área da saúde e que se empenharam para termos o que temos hoje”, disse o presidente da Câmara.

A homenagem foi recebida pelo presidente da Fundação, Dr. Domingos Chaves Ribeiro e pelo vice-presidente, Dr. Marçal de Figueiredo.

Histórico

Em Janeiro de 1971, com esforço conjunto da sociedade varginhense, da Prefeitura Municipal, da Câmara de Vereadores, políticos atuantes na época, foi reativada a “Fundação Rocha Braga” com fim específico de atuar na área da saúde, na sua integralidade tendo como objetivo primordial construir um hospital de alto nível para beneficiar Varginha e região.

Assim, muitos médicos e pessoas beneméritas da cidade contribuíram com doação em dinheiro, tornando-se membros efetivos da Fundação Rocha Braga.

Na época foi fundamental a doação de área privilegiada de terreno do loteamento Jardim Petrópolis, sendo metade da mesma por ato benemérito de seus sócios: Dr. Mário Frota, Dr. Paulo Frota, Dr. Paulo Chaves Ribeiro, Paulo Nogueira Almeida, Dr. José Nogueira Filho e Dr. Vivaldo Ferreira Garcia. E a outra metade, por visão e espírito público do Sr. Prefeito Municipal Jacy de Figueiredo que enviou o projeto de doação da área à Câmara de Vereadores, que prontamente foi aprovado.

Posteriormente, o Sr. Aloisio Ribeiro de Almeida, quando Prefeito, concedeu subvenção mensalmente para suportar as despesas de manutenção da Fundação Rocha Braga. Na época foi eleita uma comissão de estudos para a implantação do Hospital das Clínicas do Sul de Minas integrado pelos seguintes membros: Dr. Paulo Chaves Ribeiro (Presidente da Fundação Rocha Braga), Dr. Marçal Paiva de Figueiredo, Dr. Marcos Nogueira Frota, Dr. Mauro Eugênio do Prado.

Após algumas reuniões ficou decidida a construção de um Hospital Classe A, para 150 leitos com possibilidade de crescimento até 300 leitos. Em 1972 com os recursos de verba municipal e doações advindas de títulos oferecidos na cidade e região, foi iniciada a construção, com acompanhamento sem remuneração do Engenheiro Marcio de Rezende Paiva, e com o trabalho incansável e persistente de seu presidente Dr. Paulo Chaves Ribeiro, durante quase 10 anos, e com apoio incondicional de seus membros fundadores.

As dificuldades econômicas da época inviabilizaram empréstimos para continuidade das obras, obrigando a Fundação a disponibilizar parte de seu patrimônio para não interromper as obras em fase de risco de perder a base estrutural existente. Depois de esgotadas todas as possibilidades de obter recursos e com o risco de não conseguir colocar em funcionamento mais um hospital em nossa cidade, a Fundação Rocha Braga, entendeu como a melhor solução para dar continuidade a seu projeto inicial, fazer um contrato de Comodato com a Empresa Novo Horizonte Hospitalar, composta por um grupo de médicos e investidores, que vislumbravam no projeto o futuro da medicina em Varginha e Região, que em contrapartida se comprometia a continuar as obras do Hospital, equipa-lo e colocá-lo em funcionamento mesmo que com bem menos leitos que o programado, tudo isso sendo feito com os recursos dos Comodatários.

Foi, então, inaugurado o Hospital Humanitas, denominação jurídica Novo Horizonte Hospitalar, direcionando suas atividades em psiquiatria, geriatria e repouso, permanecendo estas atividades até maio de 1995. A partir desta data, outros médicos, também no intuito de viabilizar o funcionamento do Hospital, adquiriram quotas da Novo Horizonte Hospitalar – Hospital Humanitas, passando o mesmo a funcionar como Hospital Geral.

Em 27 de abril de 1998, em Assembleia Geral Ordinária da Fundação Rocha Braga foram eleitos, por unanimidade, como presidente da Fundação o Dr. Domingos Chaves Ribeiro e vice Dr. Marçal Paiva da Figueiredo. No mesmo ano houve um movimento de aproximação com a direção da Unimed Varginha, visando desta forma injetar novos recursos no Hospital Humanitas, com intuito de ampliar o campo de trabalho para todos os médicos cooperados de outras especialidades e ao mesmo tempo aumentar o número de leitos, adquirir novos equipamentos, e ampliar o centro cirúrgico. Assim, em outubro de 1998 a Unimed Varginha adquiriu 60% das quotas da Novo Horizonte Hospitalar, após aprovação na Assembleia Geral Extraordinária da Unimed Varginha, realizada em fevereiro de 1999.

Estabelecido o primeiro comodato a fundação manteve suas funções básicas, sendo o acompanhamento das obras do empreendimento do Hospital Novo Horizonte Hospitalar, vista sua posição financeira precária já citada na ata lavrada em 31 de março de 1983, assim permaneceu, porém tendo sua parte financeira mantida pela comodatária e acompanhada durante estes anos por trabalho voluntário do Presidente Dr. Domingos e do Vice-presidente Dr. Marçal de Figueiredo,  sendo responsável pela escrituração contábil da entidade a empresa FC Contabilidade Empresarial Ltda., mantendo suas contas rigorosamente em dia.

Durante alguns anos a parceria funcionou com relativo sucesso sempre com melhorias físicas e funcionais em todos os setores, sendo que o fato de maior importância foi a instalação do Pronto Atendimento (Prontomed) junto ao Hospital, proporcionando atendimento de urgência e emergência com qualidade para Varginha e Região.

Com decorrer do tempo e a grande necessidade de constantes e vultuosos investimentos em todos os setores do hospital, sem que o mesmo obtivesse recursos para suprir as constantes inovações tecnológicas tão necessárias ao aprimoramento do atendimento médico aos pacientes, fez com que os sócios minoritários após produtiva negociação, entre a Diretoria da Unimed Varginha, representada pelo Dr. Roberval Silva Esper e pela Diretoria do Hospital Humanitas representada pelo Dr. José da Frota Vasconcelos, chegando a uma negociação final com a Unimed Varginha que adquiriu em julho de 2012 a totalidade das quotas do Novo Horizonte Hospitalar, ficando como a única comodatária junto a Fundação Rocha Braga.

Assim a Fundação conseguiu, mesmo que de forma indireta, a consecução de sua meta principal realizando o sonho de tantos membros, embora muitos já não se encontrem entre nós, para ver em pleno funcionamento o Hospital Humanitas Unimed, que hoje é referência na cidade, no Sul de Minas e até mesmo em Minas Gerais.

Foram quatro décadas de muito esforço e dedicação, desde a construção das estruturas da base, das colunas e lajes dos primeiros pavimentos de um prédio programado para cinco andares. Da mesma forma, ao longo desse tempo, inúmeras dificuldades foram vencidas pelas comodatárias, sejam econômicas, como de ordens legais e burocráticas existentes em nosso País, para conseguir colocar em pleno funcionamento um Hospital de tal porte e complexidade.