Rodrigo Cavaca realiza seminário no Instituto Lutar em Varginha

Treinador do fenômeno Vitor Belfort e Mestre do maior lutar de jiu jitsu da atualizada Marcus Buchecha, Cavaca vem a Varginha e ministra seminário onde expõe desde gestão de negócios na arte suave.

O black belt Rodrigo Cavaca está na região para ministrar um seminário para os atletas de Jiu-jitsu no INSTITUTO LUTAR e de outras academias. O lutador chegou nesta sexta-feira onde veio direto dos Estados Unidos. Entre os objetivos do mestre está o de estreitar ainda mais os laços entre a Zenith com o INSTITUTO LUTAR e a equipe PR BJJ.

A ideia é unirmos forças e que nessa parceria possamos elevar o jiu-jitsu na região de uma maneira ordenada. Ensinamos nosso filiado como trabalhar e como ganhar dinheiro com o jiu-jitsu. Isso dentro de um sistema e filosofia de respeito as regras buscando crescimento de médio a longo prazo em busca de tirar sua renda somente do jiu-jitsu.

Com a experiência de quem treinou grandes expoentes mundiais da arte suave, como o prodígio Marcus Buchecha, o faixa preta 2º dan mostra sua preocupação com o lado da gestão do jiu-jitsu como negócio. Fala dos professores que apesar da paixão por ensinar a arte marcial, não conseguem ter uma renda compatível com o trabalho oferecido.

- Às vezes, o atleta-professor faixa preta dá aulas todo dia para no fim do mês não ter uma renda esperada. Não tem patrocínio. Isso é muito ruim. A partir do momento que você começa a pensar o esporte como uma empresa e não mais como uma equipe de jiu-jitsu você consegue que as pessoas olhem de uma maneira diferente. Tem que se fazer um trabalho diferenciado, começar a abrir portas e conquistar algo antes inexistente apenas com a mudança de postura. Temos que saber conversar com o aluno, se direcionar, saber receber um visitante na academia. Enfim, saber como se portar como professor.

Vou retornar e trazer o Robert Drysdale, meu sócio na Zenith, vou trazê-lo para fazer seminários em nossas filiais , acredito que teremos em 2015  um outro grande evento em Varginha. Nosso desejo é que a arte marcial cresça nas regiões e que tenha uma evolução técnica mais rápida a exemplo de São Paulo, Rio de Janeiro e Estados Unidos, por exemplo.