Disciplina a serviço dos lucros

(Cresça profissionalmente dentro da empresa. Destaque-se. Recicle-se se necessário e almeje a eficiência. Tenha espírito solidário e colaborativo. Adicione obediência, probidade, caráter impoluto. Com esses ‘temperos’ você melhorará o seu currículo e com ele a sua vida.)

Disciplina é sinônimo de eficiência; eficiência é sinônimo de produtividade. Logo, não há boa produtividade com indisciplina, seja em que segmento da vida for. Isso é inconteste.

Empresas onde líderes ordenam e liderados desobedecem são empresas fadadas ao insucesso. Como pode um ambiente de trabalho manter-se produtivo se ali se instalar uma Torre de Babel? Há que todos falarem o mesmo idioma, haver sinergia entre os pares, obediência às regras, respeito à hierarquia, aos colegas e disciplina operacional. Ressalte-se que esses quesitos, além de serem impulsores de faturamento e lucros, são itens que integram o padrão ISO, pois permitem aumentar o grau de segurança e reduzir, em contraponto, o número de acidentes de trabalho.

Seja do pedido do cliente à execução do serviço, do início do processo da matéria-prima ao produto final, da portaria de descarga ao depósito e do depósito às prateleiras de vendas, há um caminho lógico e racional a ser percorrido; e esse caminho é reto e plano, sem desvios ou ressaltos. Esse é o “percurso da eficiência”, ou seja, os bens e insumos chegam mais rápido à área de processamento e vendas.

A disciplina constante é qual uma mola-mestra incansável, que se retrai e se expande empurrando para frente os negócios. Qualquer entrave na flexibilidade dessa mola, lá na ponta, imprevistos poderão ocorrer. E esses imprevistos resumem-se em produtos mal acabados, com defeito, excesso de sobras e desperdícios; mercadorias empoeiradas, vencidas, danificadas ou mal expostas na área de vendas; serviços executados com atraso, baixa qualidade ou imperfeição, etc. E daí decorre trocas, substituição de peças e componentes, refazimento de serviços, acarretando perda de clientes, altas de custos, prejuízos... Essas práticas empresário algum pretende registrar nos seus negócios, pois é um retrocesso na escala produtiva e nos lucros.

Devemos considerar a disciplina como um item a estar presente na empresa como parte integrante do produto final. Ela é um facilitador indispensável para os desafios do dia a dia e para aqueles que buscam o primor e a plena eficiência dos trabalhos. Discipline, pois, e discipline-se!


Inácio Dantas
(do livro ® “Gestão e Liderança Descomplicada)
www.amazon.com.br