Afogamentos - Mudança de comportamento ainda é a maior prevenção alerta Bombeiros

O aumento da temperatura traz também o aumento da procura por locais para se refrescar como rios e cachoeiras. O grande problema é que muitas pessoas não adotam os cuidados necessários e acabam tornando-se vítimas de afogamento. Para tentar prevenir esse tipo de acidente, o Corpo de Bombeiros faz alguns alertas e dá orientações.

No ano passado, a corporação atendeu a 385 ocorrências de afogamento. De acordo com o Sargento Benedito Eduardo Lima, instrutor de Atendimento Pré-Hospitalar, o uso de bebidas alcoólicas ainda é um dos grandes causadores dos casos de afogamentos. Segundo ele, o uso do álcool, aliado ao fato das pessoas escolherem locais desconhecidos e sem segurança para nadar pode resultar em mais uma ocorrência. “Orientamos que os banhistas não se aventurem e nem abusem da autoconfiança. Mais de 80% dos casos de afogamento ocorre em lugares onde não há guarda-vidas”, alerta. Um levantamento da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa) aponta ainda que 85% dos afogamentos do mundo poderiam ser evitados.

Durante os atendimentos os bombeiros se deparam com situações que ajudam a tornar uma diversão muito mais perigosa. “É comum, por exemplo, as pessoas improvisarem boias com materiais que não são adequados como colchões infláveis, garrafas pet e até mesmo pneus”, conta. Segundo o Sargento Benedito, as mortes provocadas por afogamento também produzem um impacto social. “A maior parte dos óbitos que atendemos são homens na faixa de 25 a 40 anos, ou seja, pessoas em idade ainda produtiva. O militar complementa que o comportamento adotado pelas pessoas pode minimizar os riscos e evitar que ela se afogue.” É importante ter um comportamento diferente. “A prevenção é o mais importante”, finaliza.

Dicas

  • No barco, caiaque ou lancha, use sempre colete salva-vidas e nunca tire a proteção para mergulhar.
  • Obedeça à sinalização de perigo, pois dela também depende a sua vida.
  • Mantenha distância das pedras e bocas de rios, pois o que lhe parece bonito e atrativo constitui também um perigo.
  • Nunca entre na água após as refeições. Quando estiver na praia ou pescando num rio, coma somente alimentos leves. Dessa maneira, não terá congestão nem perderá o equilíbrio.
  • Não deixe crianças brincarem sozinhas na praia, na beira de rios, lagos ou piscinas.

Escolha o local para nadar:

  • Procure um local conhecido e vá sempre acompanhado
  • Não entre em locais onde há avisos de perigo de morte ou em águas poluídas
  • Não faça uso de bebida alcoólica
  • Não se afaste da margem
  • Não pule de cima de cachoeiras
  • Não tente salvar pessoas sem possuir habilitação para isso
  • Prefira jogar flutuadores para salvar pessoas ao invés de entrar na água para salvá-la
  • Evite brincadeiras de mau gosto ("caldos", "trotes", "saltos")
  • Acate as orientações dos Bombeiros ou dos Guarda-vidas

Em caso de emergência, ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros Militar, pelo número 193. Bombeiro, o amigo certo nas horas incertas!

Acompanhe nossas dicas nas redes sociais

Twitter: @bombeiros_mg