O Boa Esporte praticamente deu adeus ao Campeonato Brasileiro da Série B

Na tarde deste sábado ao perder, em pleno Estádio do Melão, para o CRB pelo placar de 3 a 1, em partida válida pela 29ª rodada. Já é o décimo tropeço seguido da equipe mineira, sendo nove derrotas. Resta esperar por um milagre para escapar...

Com o resultado, o Boa Esporte fica na zona de rebaixamento, com apenas 23 pontos, enquanto o CRB respira e já vai para o seu sexto jogo sem uma derrota sequer, podendo assim sonhar com algo a mais nas rodadas finais. Na tabela de classificação, soma 40.

O Boa Esporte teve oito minutos de bom futebol no Estádio do Melão neste sábado. O clube mineiro começou melhor, perdeu um gol dentro da área com Gabriel - Julio Cesar fez uma grande defesa - , e viu tudo desandar. Aos 14 minutos, Gabriel Dias derrubou Maxwell dentro da área e o árbitro marcou penalidade máxima. Na cobrança, Zé Carlos estufou as redes.

O CRB cresceu com o gol, teve mais posse de bola e foi logo marcando o segundo. Bocão tabelou com Clebinho, passou como quis pela defesa adversário e chutou certeiro, um golaço, despertando a fúria dos torcedores do Boa Esporte, que vaiavam a equipe. O Tricolor não esboçava reação.

Em desvantagem, Nedo Xavier mudou. Colocou Felipe Alves no lugar de Clébson, mas nada funcionou. O CRB seguiu melhor e só não fez o terceiro, pois Danilo Bueno prendeu muito a bola e perdeu a oportunidade de rolar para Zé Carlos, que estava livre para marcar.

No segundo tempo, o Boa Esporte voltou com um sistema de jogo mais ofensivo e diminuiu. Aos 15 minutos, Moacir cruzou, Felipe Alves desviou e marcou o primeiro. O clube mineiro continuou em cima e poderia ter feito o segunda na sequência se não fosse o goleiro Julio Cesar, que fez duas grandes defesas, salvando o CRB.

Nos minutos finais, a partida ganhou em emoção, com chances para ambos os lados. Zé Carlos arriscou para grande defesa de Douglas, que pegou também a tentativa de Cañete. O CRB buscava surpreender no contra-ataque, enquanto Jussani era um monstro no sistema defensivo do Galo.

O zagueiro foi eficiente em duas oportunidades perigosas do Boa Esporte, tirando duas bolas em cima da linha. A última no chute de Felipe Alves .O Tricolor foi guerreiro, tentou de todas as maneiras, mas não conseguiu empatar. Para piorar, tomou mais um no final. Após grande jogar de Gerson Magrão, Leandro Brasília ficou livre para marcar, aos 47 minutos.