Presidente da Câmara busca informações sobre recente falta de água em Varginha


Após a interrupção de abastecimento de água ocorrido em alguns bairros de Varginha na última semana, a Câmara de Vereadores procurou a Copasa para saber o motivo do problema.

O presidente da Casa, vereador Rômulo Azevedo Ribeiro, acompanhado do líder comunitário, Dilermando Silva, foi até a Estação de Abastecimento da Copasa, que fica no bairro da Vargem e distribui a água captada no Ribeirão Santana. Eles foram recebidos pelo gerente do distrito do Rio Verde, Marco Aurélio Ribeiro, que explicou tudo que a Companhia tem feito para sanar o problema e evitar que novas interrupções aconteçam. “Ocorreu um fato histórico na cidade. Na última semana, Varginha registrou a menor vazão de água de todos os tempos no Ribeirão Santana. Esse foi o grande problema que impediu que a água chegasse a alguns locais, mas resolvemos a questão com a implantação de mais uma bomba no Rio Verde, totalizando três bombas de captação e agora 100% da cidade está abastecida”, explicou Marco Aurélio.

O vereador Rômulo questionou se esse fato histórico ocorreu devido a falta de chuvas. “Também é um dos motivos. A seca baixou muito o nível do Ribeirão Santana, mas o consumo elevado por causa do calor, com o enchimento de piscinas, utilização de mangueira e outros desperdícios são grande responsáveis também. A população tem que ter consciência que a água é um bem precioso, não pode ser jogada fora”, respondeu Marco Aurélio.

A Câmara de Vereadores de Varginha tem feito sua parte reduzindo o consumo de água em suas atividades diárias e promovendo uma campanha nas redes sociais de conscientização sobre o desperdício de água. “É muito importante que todos façam sua parte. Nós, vereadores, temos trabalhado muito para encontrar soluções. Eu mesmo já apresentei uma iniciativa na Câmara sugerindo que a Prefeitura conceda descontos no valor do Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU - dos contribuintes que possuam e efetivamente utilizem reservatórios de águas pluviais e áreas permeáveis. Um pouco de cada um resulta em bastante economia no final e o benefício é para todos”, disse Rômulo.

De acordo com a Organização das Nações Unidas, cada pessoa precisa de cerca de 110 litros de água por dia para atender as necessidades de consumo e higiene, mas, infelizmente, em Varginha essa média não é atendida. Os moradores da cidade gastam cerca de 200 litros por dia. Um excedente de 90 litros por dia por pessoa que poderia estar sendo economizado.