Câmara promove Audiência Pública e busca solução para turmas de EJA do Cesu


Os vereadores de Varginha receberam, na tarde de ontem (24), alunos e professores das turmas de Ensino Médio que estão na Educação para Jovens e Adultos – EJA – na modalidade semipresencial do Cesu. Eles participaram de uma Audiência Pública, que também contou com a presença de representantes da Secretaria Municipal de Educação e da Superintendência Regional de Ensino.

Durante duas horas foram feitos questionamentos e dadas explicações sobre o fechamento dessas turmas semipresenciais a partir do ano que vem. O aluno Moisés Ribeiro explicou às representantes da Secretaria Municipal de Educação que essas aulas semipresenciais são muito importantes para várias pessoas. “Se acabar com essa modalidade, muitos vão ter que parar de estudar. Tem muita gente que trabalha uma semana de manhã, outra à noite e não tem como fazer as aulas presenciais. O que a gente pede é muito pouco. Só mais um ano de aulas semipresenciais para que todos que estão lá tenham a oportunidade de se formar”, disse o aluno.

A inspetora da Secretaria Municipal de Educação, Cláudia Gonzaga, explicou que a questão é estritamente legal. “Na Lei de Diretrizes e Bases é estabelecido que o Município é responsável por  oferecer a educação infantil em creches e pré-escolas, e, com prioridade, o ensino fundamental, permitida a atuação em outros níveis de ensino somente quando estiverem atendidas plenamente as necessidades de sua área de competência. Como o Município não tem atendido toda a demanda necessária para vagas de creche, decidiu-se por focar no que é prioridade e não oferecerá mais as turmas de EJA semipresencial a partir do ano que vem”.

A CÂMARA

O presidente da Câmara, vereador Rômulo Azevedo Ribeiro e os demais vereadores presentes: Carlos Costa, Jorge Direne Ribeiro, Leonardo Ciacci, Reginaldo Tristao, Rogério Bueno e Zacarias Piva foram unânimes em manifestar o apoio aos estudantes, demonstrando que grande parte da Câmara está contrária ao encerramento dessas turmas a partir do ano que vem. Esse encerramento atinge cerca de 350 alunos. “Nós ouvimos a população e agora buscaremos promover o diálogo entre a Prefeitura e o Governo do Estado de Minas Gerais para que haja bom senso e disponibilidade de ambos para alcançar uma solução que mantenha os cursos durante o ano de 2016, até que iniciem o CESEC em 2017, que foi o prometido pelo Governo do Estado”, disse o presidente da Câmara, vereador Rômulo.

A Câmara já está agendando reuniões com a Prefeitura de Varginha e o Ministério Público para tentar chegar à solução brevemente.