COM AMOR E POR AMOR - Associação acolhe e recupera usuários de drogas em Varginha


Por entre as árvores e atrás de uma longa estrada de terra, novas histórias vem sendo criadas em Varginha. Moradores de rua, dependentes químicos e alcoólatras, começaram a reescrever suas histórias. Se trata do trabalho realizado pela Associação Cristã Betesda, criada em Varginha há seis anos. O diretor e presidente da associação, Nivaldo Odoni, explica a trajetória trilhada; "Nós começamos em 2004, uma reunião de oração na minha casa e mães de dependentes químicos começaram a nos procurar pedindo ajuda. Sensibilizados, começamos a ajudar essas famílias e direcioná-los. Conduzíamos esses jovens aos centros de recuperação e nós custeávamos tudo. Mas em virtude dos tratamentos serem caros, ficamos impossibilitados de ajudar a todos. Foi quando tivemos a ideia, de pegar o nosso sítio e colocarmos a disposição dessas famílias. No ano de 2009, conseguimos nos regularizar e nos formalizar como centro de recuperação", explica.

Em meio ao trabalho árduo e difícil, o diretor destaca como recebe os internos e as dificuldades enfrentadas; "O nosso primeiro passo, é uma entrevista com a pessoa, para ela aceitar o tratamento. A pessoa precisa querer, mediante essa entrevista e se afirmarmos o interesse, a pessoa é recepcionada e aí iniciamos o trabalho. Não tem nenhum custo para a família, mas a maior dificuldade é sempre a financeira, pois o regime é de internato. A nossa dificuldade é para manter isso tudo", afirma.

Com 23 internos atualmente, Nivaldo destaca o sucesso do trabalho, mesmo em meio às dificuldades; "Já passaram por aqui 1.150 pessoas, dessas, 16% se recuperaram. É difícil, mas é possível. Hoje na cidade quem mais nos apóia é o poder judiciário, no entanto se tivéssemos o apoio de outros órgãos municipais, isso seria excelente. Queríamos ter a oportunidade por exemplo, de poder trabalhar cursos técnicos e de aprendizagem, que pudessem reinseri-los no mercado de trabalho ao saírem dali. Não basta desintoxicar o usuário de drogas, além do tratamento, é preciso você prepará-lo para o mercado", enfatiza.

Para o próximo ano, o diretor revela que a associação tem alguns projetos a serem realizados; "Estamos tentando colocar os nossos projetos para funcionar, um deles é formar uma padaria, para sustentarmos a casa e trabalhar com os internos. Ganhamos do Comdedica, R$ 16 mil para comprar os equipamentos da padaria e estamos aguardando a liberação. Temos também, o projeto de uma horta hidropônica, mas para isso dependemos de um poço artesiano, que ainda necessita ser cavado. Para tudo isso, dependemos da ajuda e do máximo de apoio possível", afirma.

Ao destacar o trabalho realizado, o diretor ressalta que apesar das dificuldades, não trocaria por nada no mundo; "Eu acredito na recuperação dessas pessoas, sabemos que o crack predomina e 90% dos que estão aqui, é por conta desse vicio. Mas acreditamos e temos muitos em evidência, que passaram por aqui e se recuperaram". Recebendo o apoio da Igreja Batista Vale das Bênçãos, o diretor ressalta a importância do trabalho espiritual; "A nossa base de tratamento não é clinica, mas acreditamos no amor, no acolhimento e no apoio. O amor é o que as pessoas mais precisam. Temos conseguido toda a recuperação em cima da parte espiritual e do amor.  O trabalho espiritual faz toda diferença na vida dos internos, temos outras técnicas super elaboradas  que funcionam, mas a parte espiritual é especial. As pessoas precisam entender que esse trabalho, não é através da nossa capacidade, mas sim da nossa disposição. Cada vez que encontro um recuperado lá fora, é muito gratificante", afirma. Quem tiver interesse em apoiar ou realizar alguma doação para a associação, pode entrar em contato pelo telefone (35) 9 8818-6115 ou (35) 9 8816-6057.