FDSM realiza 1º Concurso de Arte

- Fotográfica sobre Direitos Humanos -


O Programa de Pós-Graduação da FDSM (Faculdade de Direito do Sul de Minas), em parceria com o Foto Clube de Pouso Alegre, realizou no dia, 14 de novembro, a Premiação do 1º Concurso de Arte Fotográfica sobre Direitos Humanos que apresentou como temática o Direito do Trabalho. Ao todo foram 115 participantes, e 36 foram classificados para exposição de suas fotos na faculdade. Além dos alunos, o concurso também contou com a participação de profissionais e amantes da fotografia de Belo Horizonte/ MG, São José do Rio Preto /SP e um participante de Portugal.

Segundo o Prof. Dr. Rafael Lazzarotto Simioni, um dos responsáveis pelo concurso, a escolha da temática sobre o Direito do Trabalho valorizou o conteúdo das fotos apresentadas. “Direito do Trabalho é um dos direitos humanos. E é um direito cujo exercício pode ser registrado fotograficamente, tanto no aspecto da sua importância para a realização das condições necessárias a uma vida plena, quanto no aspecto das suas violações e do sofrimento presente nas relações de exploração. Foi muito complexo definir as  fotos vencedoras, todas as fotos recebidas eram extraordinárias, os participantes se mantiveram fieis à temática”, disse.

O participante Geraldo Flávio Parreiras, de Belo Horizonte, conquistou o 2º lugar na categoria Preto e Branco com a foto de um pescador em atividade. Segundo ele, o objetivo de sua fotografia foi mostrar que o isolamento total e as condições precárias do pescador vão contra alguns aspectos da Declaração Universal de Direitos Humanos com relação ao trabalho. “O concurso mostra que Direitos Humanos é um assunto amplo e minha fotografia retratou isso.”, afirmou.

O acadêmico da FDSM, Chien Chih Sheng, 1º lugar do concurso na categoria Cor, conta que seu apreço pela arte fotográfica vem da infância. “Quando pequeno já tinha paixão por fotos, observava as imagens, os melhores ângulos para fotografar e as pessoas. A arte fotográfica é  interessante, ela mostra o lado não perceptível aos olhos da sociedade. Foi essa a ideia central do concurso, mostrar as verdadeiras condições de trabalho das pessoas”, comentou.

Associado do Foto Clube Pouso Alegre, o aposentando José Maria Fonseca Batista, premiado em 3º lugar na categoria Cor,  falou um pouco de sua trajetória como amante da fotografia. “Quando morei no Rio de Janeiro, fiz vários cursos e participei de concursos de fotografia. Quando mudei para Pouso Alegre e logo aposentei, decidi voltar às atividades. Entrei para o Foto Clube, e este concurso, já é o segundo que participo dentro do grupo. Foi uma grande surpresa ter sido premiado com minha fotografia. Isso serve como incentivo para que eu sempre me aprimore, continue aperfeiçoando meus trabalhos e fazendo o que mais  gosto”, declarou.

Para o presidente do Foto Clube, Fábio Brandão, o concurso criado pela FDSM foi de grande relevância, não somente para evidenciação dos Direitos Humanos no Trabalho, mas para despertar olhares acadêmicos ao mundo. “A fotografia transcende o real porque consegue estabelecer mundos sensíveis, caso consideremos que o olhar passa a desvelar o que observa, com a destreza de construir um mundo e narrativas. Assim começamos a compreender que a fotografia não é tão somente um espelhamento do real. E Direito ao Trabalho é um tema sempre atual, que vez ou outra, nos escapa ao olhar diante das propagandas vazias que existem. Nesta questão a FDSM fez a diferença, conseguindo ir além do currículo básico”, concluiu.