Pronto Atendimento do Hospital Bom Pastor passará por reforma

Recursos de R$1,5 milhão são oriundos de Emenda 
Parlamentar de autoria do deputado federal Diego Andrade.


A reforma está programada para início de 2016, quando o Pronto Atendimento do Hospital Bom Pastor passará por melhorias em toda sua estrutura para melhor atender ao público de Varginha e região. Com os recursos, da ordem e R$1,5 milhão, fruto de emenda parlamentar do deputado Federal Diego Andrade, serão adquiridos novos e modernos equipamentos,  a sala de emergência será ampliada, serão trocadas janelas,  parte elétrica e hidráulica, dentre outros.

“Durante o período de obras, o atendimento será transferido provisoriamente para a UPA”, explicou Luiz Fernando Alfredo, presidente do Conselho Diretor da Fhomuv – Fundação Hospitalar de Varginha. Ele conta que para isso foram ouvidos o Conselho Municipal de Saúde, a Superintendência Regional de Saúde, a Câmara Municipal, os Diretores Administrativos, Técnicos e Clínicos da UPA, do Hospital Bom Pastor, do Hospital Regional, do SAMU, o Corpo de Bombeiros, com a autorização do Prefeito Antônio Silva.

“Estamos aguardando a abertura de licitação para a contratação de uma empresa que se responsabilize pela obra. Acreditamos que até janeiro esteja concluída, para então iniciarmos os trabalhos”, destacou Luiz Fernando.

Credenciamento

Luiz Fernando conta que assim que a nova Direção assumiu o Hospital Bom Pastor, o seu Pronto Atendimento já estava credenciado como participante da Rede de Resposta em urgência e Emergência pela administração passada. “Porém, ao analisarmos suas instalações, aparelhos, equipamentos, instrumental e afins, concluímos que não tínhamos condições nenhuma para tal responsabilidade. O próprio Chefe do Departamento Estadual da Rede de Urgência, durante uma visita ao local, constatou que estávamos com a razão, não concordando com o credenciamento”, relatou.

Diante a estas circunstâncias, a alternativa foi buscar recursos. “Foi quando  conseguimos uma verba através de emenda parlamentar do Deputado Diego Andrade, no valor de R$1.500.000,00 para melhorarmos a Oncologia e especialmente, para reformarmos o Pronto Atendimento. A verba já está empenhada, após a liberação da Caixa Econômica Federal em outubro deste ano, já encaminhamos os projetos e estamos elaborando o processo licitatório”, explicou Luiz Fernando.

Atendimento de Trauma

Luiz Fernando explica que, embora o Pronto Atendimento não esteja credenciado para trauma I, vem atendendo como se fosse. “Realizamos atendimentos de 44 clientes por dia, l.320 por mês, trauma leve, médio, grave e poli trauma. Temos tomógrafo, laboratório, raio x, ultrassom, bloco cirúrgico com 7 salas, CTI, 2 leitos de emergência, 6 leitos de observação, 1 de isolamento dois plantonistas médicos, 1 enfermeiro, 4 técnicas de enfermagem, 2 recepcionistas e 1 ajudante geral a cada 12 horas, de segunda feira a domingo, e contamos com os especialistas em neurologia, ortopedia, cirurgião geral, bucomaxilofacial, cirurgião plástico, nefrologista e cirurgia vascular de Plantões à distância e mais 1 internista presencial, 12 horas por dia e à noite, sábados e domingos, ele fica à distância”.

UPA

Considerada um Centro de excelência para Varginha e mais 6 seis cidades vizinhas (Boa Esperança, Santana da Vargem, Monsenhor Paulo, Elói Mendes, Monsenhor Paulo e Cordislândia), com uma população alvo de aproximadamente 250 mil pessoas, UPA tem capacidade para até 450 atendimentos por dia, 13.500 por mês. Conta com 4 leitos de emergência devidamente equipados, Farmácia, Laboratório, Raio X e Eletrocardiograma interno, mais outros exames terceirizados, externo, 6 leitos de observação Feminino, 6 masculino, 5 infantil e dois isolamentos. É equipada com três ambulâncias – Normal e UTI para transporte, assistida pelo SAMU e Corpo de Bombeiros. 7 médicos diários, clínico, cirurgião e Pediatra, 4 enfermeiros, 9 técnicos de enfermagem, 4 técnicos de laboratório, 4 recepcionistas, 4 ajudantes, Farmacêutico e motoristas, diariamente.

“Com a ajuda da estrutura do Hospital Bom Pastor, onde se manterá os internistas e especialistas nas mesmas funções, uma sala vermelha com 4 leitos para estabilização (pacientes graves), sem porta aberta, com 60 plantões médicos por mês, mais pessoal de apoio e o Hospital Regional com 4 leitos de emergência e mais 10 leitos de CTI, com o compromisso do custeio do governo estadual para a nova unidade, e um fluxo bem afinado com o SAMU e o Corpo de Bombeiros, poderemos convergir temporariamente os atendimentos para a UPA, pois, do contrário, não haverá outra maneira de reformarmos o Pronto Atendimento do Hospital Bom Pastor e ficaremos sujeitos a devolver a verba”, justificou Luiz Fernando Alfredo.