Reginaldo Tristão quer informações sobre encerramento de turmas do EJA


A reunião da Câmara de Varginha da última quarta-feira (11) contou com a presença de alunos do Ensino Médio, que estudam pela modalidade semipresencial no Cesu e que estão preocupados, pois foram informados que o Município terá que parar de oferecer as aulas, após uma determinação do Ministério Público.

Esses alunos acompanharam a apresentação de um requerimento do vereador Reginaldo Tristão sobre o assunto e ainda a formação de uma comissão da Câmara de Varginha que buscará soluções para o problema. “Como a oferta do Ensino Médio é uma prerrogativa do Governo do Estado, o Ministério Público determinou que a Prefeitura de Varginha pare de oferecer essas aulas, mas apesar de legal e legítima, essa decisão tem várias implicações que precisam ser resolvidas. Por isso apresentei meu requerimento solicitando informações sobre como esses alunos darão continuidade  ao estudo deles e como os outros, que encontram nessa modalidade a única forma de estudo, farão no ano que vem”, explicou o vereador Reginaldo Tristão.

De acordo com informações do requerimento do vereador Regional, atualmente estudam na modalidade EJA semipresencial 106 alunos na Educação Básica e 254 na Fundamental. E esses, daqui um tempo, precisarão cursar o Ensino Médio. “Todos estão muito preocupados com essa situação e com medo do Governo do Estado não assumir, já no próximo ano, essas aulas. Além de fazer esses questionamentos, eu também conversei com o Fábio Couto Brigagão, Diretor do CESEC de Machado e ele me informou que há possibilidade de se instalar uma unidade do Posto de Educação Continuada – Pecon – em Varginha, sendo administrado pelo CESEC Machado. Ele informou que precisa apenas da autorização e de formação de convênio com a Secretaria de Estado de Educação. Vamos aguardar para ver qual será a determinação da Secretaria de Estado da Educação”, disse Reginaldo.

Comissão da Câmara

Todos os vereadores ficaram sensibilizados com a situação vivida pelos estudantes e, de imediato, o presidente da Câmara, vereador Rômulo Azevedo Ribeiro, determinou a formação de uma comissão de vereadores que irá trabalhar em busca de soluções para o problema. “Essa comissão  da Câmara buscará soluções juntamente com Ministério Público, Prefeitura de Varginha e Governo do Estado para podermos resolver o mais breve possível essa situação”, disse o presidente da Câmara.

As atitudes foram muito elogiadas pelo secretário da Casa, vereador Carlos Costa. “Quero parabenizar os vereadores Reginaldo Tristão, pela iniciativa de trazer à tona esse problema e buscar soluções para ele e, também, o presidente da Câmara, vereador Rômulo Azevedo Ribeiro pela ação tomada de forma objetiva e rápida. Fico orgulhoso por  trabalhar em uma Câmara como essa, com vereadores realmente comprometidos em promover ações positivas para a nossa população”, completou Carlos.