Rômulo Azevedo representa Varginha em audiência pública sobre segurança


O presidente da Câmara de Varginha, vereador Rômulo Azevedo, participou, na última terça-feira (3), de uma audiência pública sobre segurança promovida pela Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Rômulo representou a cidade de Varginha no evento, com o objetivo de buscar alternativas que podem ser tomadas para reduzir o índice de criminalidade. “O evento foi muito proveitoso, pois pudemos perceber que não é só a população de Varginha que está preocupada com a segurança. Em todo o Estado de Minas Gerais as autoridades têm discutido, trabalhado e buscado encontrar soluções para reduzir ao máximo esses índices. Então, pudemos trocar experiências sobre o que outros municípios têm feito e esperamos que em breve novas estratégias sejam implantadas”, disse o vereador.

O vereador também participou, no mesmo dia, na Assembleia de Minas de outra audiência pública que tratou do Plano Plurianual de Ação Governamental - PPAG – 2016-2019, que também teve como foco a segurança pública do Estado. Nesta reunião, os participantes discutiram sobre os investimentos financeiros que precisam ser feitos na área. “Foi uma discussão muito ampla, com a participação da sociedade civil que apresentou várias propostas relacionadas à melhoria da segurança pública. Foram abordadas dezenas de demandas, como a recomposição dos efetivos das polícias Civil e Militar, melhoria na infraestrutura dos órgãos de segurança, implantação de unidades de prevenção à criminalidade nos municípios com mais de 100 mil habitantes e outras excelentes sugestões que temos que trabalhar para ser implantadas”, analisou o vereador Rômulo.

MENORES INFRATORES

As sugestões aprovadas nesta reunião serão transformadas em Propostas de Ação Legislativa (PLEs), que serão apreciadas pela Comissão de Participação Popular e podem até mesmo resultar em emendas ao Projeto de Lei 2.937/15, de autoria do governador, que contém o PPAG. “É uma forma bem democrática de participar o cidadão das soluções que podem ser tomadas. Um dos nossos pedidos, que também poderá constar no plano, é a criação de uma estrutura para abrigar menores infratores no Sul de Minas. A nossa região, que abrange uma população de cerca de dois milhões de pessoas, não possui nenhum local apropriado para abrigar esses menores. Esse é um problema emergente que precisamos resolver e contamos com o Governo do Estado para isso”, concluiu Rômulo.