Dicas de segurança do Sesmt da Prefeitura de Varginha para proteção dos olhos


Os cuidados na proteção dos olhos começam pela boa higienização e pelo uso correto de lubrificantes, que são os colírios sem vaso constritor e na proteção adequada durante a exposição aos riscos laborais. Segue algumas recomendações iniciais:

1- Manter as mãos sempre limpas, especialmente quando estiver manuseando remédios.

2- Ao utilizar colírios pingue uma gota por vez.

3- Mantenha os frascos dos medicamentos sempre limpos.

4- Evite que aplicadores de colírio tenha contato direto com os olhos.

5- Faça o uso individual dos remédios, ainda que exista mais pessoas utilizando do mesmo medicamento.

6- Ao pingar colírio relate ao seu médico qualquer reação que o mesmo venha causar, em alguns casos é necessário uma nova prescrição.

7- Nas atividades que exijam muita atenção levando o trabalhador a piscar menos, sentindo a sensação de areia no olho deve-se utilizar colírio como lágrima artificial.

8- Pessoas com pouca lubrificação nos olhos deve-se alimentar de castanhas, nozes e agentes oxidantes como por exemplo o brócolis.

9- No caso de vermelhidão e irritação nos olhos deve-se usar colírio sem vaso constritor e no caso de coceira usar compressa de água gelada e depois procurar um oftalmologista.

10- No caso de queimaduras químicas que são das mais variadas, deve-se lavar os olhos com água corrente, até que seja removido o produto e logo após procura um oftalmologista.

No ambiente de trabalho é muito comum casos de conjuntivite virais decorrentes do uso de ar condicionado e teclados de computadores. Uma vez diagnosticado o trabalhador deve ser afastado por um período mínimo de 7 dias  que é o período de incubação do vírus.

Existem vários agentes ambientais  laborais que podem afetar a visão, tais como: cavacos de madeira na operação de serra circular, estilhaços de material metálico na operação de esmeril e etc...

Para tanto, deve-se utilizar óculos de segurança adequado ao risco, com lentes endurecidas testados em laboratório com resistência ao impacto de alta velocidade com uso de esfera de chumbo de determinada massa. Os óculos devem possui proteção na lateral, lembrando sempre que o uso do protetor facial não elimina o uso de óculos. É verificado também em laboratório a espessura da lente com o uso do especímetro  e a transmitância na absorção da luminosidade, para tanto deve-se ter a marcação indelével do nome do fabricante e o número do certificado de Aprovação expedido pelo MTE. Deve-se utilizar prioritariamente as medidas de proteção coletiva como coifa para serra circular e paredes.

É bom sempre lembrar que segurança se faz com consciência, portanto não adianta ter o melhor equipamento se não usarmos corretamente.

Jorge Francisco Rodrigues ,Engenheiro de segurança.
Setor de Desenvolvimento de Pessoal.