SEMEL divulga resultado da Avaliação Física realizada no Parque Centenário

Resultado preocupa profissionais . 61% dos avaliados 
estão com percentual de gordura acima da média.


No dia 2 de abril, das 7h as 11 h, no Parque Centenário, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer -Semel realizou o DIA DE AVALIÇÃO FÍSICA, que teve como objetivo principal avaliar as condições físicas dos alunos da Semel, a fim de detectar problemas de saúde básicas nos frequentadores dos projetos e na população em geral. Foram avaliadas 48 pessoas, sendo 14 homens e 34 mulheres.

Após análise de dados, chegou-se a algumas conclusões que são bastante preocupantes:

Das 48 pessoas avaliadas, 23 pessoas relataram ter algum tipo de problema psicológico (ansiedade, stress e/ou depressão), sendo 4 homens e 19 mulheres. Quatorze pessoas  relataram ter ansiedade, sendo 3 homens e 11 mulheres. Nove pessoas relataram sofrer de stress, sendo 2 homens e 7 mulheres. Sete pessoas relataram ter depressão, sendo 1 homem e 6 mulheres. Podemos dizer que 48% das pessoas avaliadas sofrem de algum dos problemas psicológicos avaliados, sendo que 6% são homens e 42% são mulheres. 30% das pessoas avaliadas sofrem por ansiedade.

Outro item avaliado, que merece destaque, é quanto ao número de pessoas que fazem uso de medicamentos. Das 48 pessoas avaliadas, 35 pessoas utilizam algum tipo de medicamento, sendo 10 homens e 25 mulheres. Podemos dizer que 73% das pessoas avaliadas utilizam medicamentos, sendo 21% são homens e 52% são mulheres. 

A situação fica ainda mais alarmante quando avaliamos a quantidade de medicamentos ingeridos pelos avaliados. Ao todo, são cerca de 95 tipos de medicamentos.

Outro ponto avaliado, foi o número de pessoas que apresentam algum problema ósseo/articular (atrite/artrose, joelho e/ou coluna). Das 48 pessoas avaliadas, 21 pessoas relataram ter algum desses problemas, sendo 5 homens e 16 mulheres. Traduzindo, 44% do avaliados apresentam algum problema ósseo/articular, sendo 11% homens e 33% mulheres.

No que diz respeito à hipertensão, das 48 pessoas avaliadas, 23 pessoas relataram e apresentaram ser hipertensas (aferição de pressão arterial), sendo 6 homens e 17 mulheres. Ou seja, 48% das avaliados sofrem de pressão alta, sendo 13% homens e 35% mulheres.

O IMC (Índice Cintura/Quadril) também foi avaliado. Das 48 pessoas avaliadas, somente 11 pessoas estão com o IMC dentro do padrão normal, sendo 3 homens e 8 mulheres. Vinte e duas pessoas foram classificadas com IMC moderado (sobrepeso), sendo 8 homens e 14 mulheres. Quatorze pessoas estão dentro da faixa considerada elevada (obesidade), sendo 3 homens e 11 mulheres. Uma mulher foi classificada na zona de obesidade mórbida. Somando o número de pessoas com sobrepeso, obesas e com obesidade mórbida, chegamos ao número de 37 pessoas que estão acima do peso (fora da padrão normal/saudável), ou seja, 77% das pessoas avaliadas estão fora do padrão normal e 32% dos avaliados estão OBESOS.

Um dos pontos mais importantes avaliados foi o percentual de gordura. Das 48 pessoas avaliadas, 29 pessoas estão acima da média, sendo todos os 14 homens e 15 mulheres. Isso significa que 61% dos avaliados estão com percentual de gordura acima da média, comprovando o já avaliado IMC. Destes, 30% são homens e 31% são mulheres. Dezesseis mulheres estão abaixo da média e 3 mulheres estão na média.

O último item avaliado vem comprovar tudo acima avaliado. O ICQ (Índice Cintura/Quadril) avalia a quantidade de gordura acumulada na região da cintura e quadril. De acordo com o protocolo utilizado, quanto mais alto for o ICQ, maior a probabilidade de o indivíduo desenvolver ou já ter alguma doença crônica degenerativa (hipertensão, diabetes, hipercolerostomia, triglicérides alto) podendo levar a um AVC (acidente vascular cerebral), infarto agudo do miocárdio e até mesmo à morte. Das 48 pessoas avaliadas, somente 4 pessoas apresentaram ICQ baixo, sendo 3 homens e 1 mulher. Onze pessoas apresentaram ICQ moderado, sendo 8 homens e 3 mulheres. Nove pessoas estão com ICQ considerado alto, sendo 1 homem e 8 mulheres. E por último, 24 pessoas apresentaram ICQ muito alto, sendo 2 homens e 22 mulheres. Somando das classificações “alto” e “muito alto” obtemos o número de 33 pessoas. Podemos dizer, que 69% dos avaliados estão classificadas na zona de risco GRAVE e foram aconselhados a procurar um médico, fazer exames clínicos e laboratoriais, além de um check-up para avaliar minuciosamente a saúde.

Conclusão:

Diante de todos esses dados, fica um alerta: É preciso que as pessoas entendam que a atividade física e hábitos alimentares saudáveis contribuem para a manutenção da qualidade de vida e a sua adoção auxilia na prevenção e combate às doenças!

A maioria da população alega que a ausência de atividade física e hábitos alimentares saudáveis na rotina é resultado da escassez de tempo, preguiça, falta de dinheiro e até dificuldade de encontrar uma atividade compatível com o estilo de vida. Entretanto, alertamos que o sedentarismo favorece uma série de doenças, além de intensificar muitos problemas de saúde como: hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares e até emocionais.

Os problemas psicológicos avaliados (ansiedade/stress/depressão), os problemas ósseos/articulares (artrite/artrose, joelho e coluna), hipertensão, IMC (índice de massa corporal), ICQ (índice cintura/quadril), % G (percentual de gordura) e quantidade de medicamentos utilizados, tudo isso, pode ser amenizado, melhorado e corrigido com a prática regular de atividade física e alimentação saudável.

Se melhorarmos a saúde das pessoas, estamos aumentando a expectativa de vida delas, estamos contribuindo para diminuir as filas nos postos de saúde e hospitais, estamos diminuindo a quantidade de pessoas que utilizam medicamentos e consequentemente, diminuindo a quantidade de medicamentos que são ingeridos atualmente. Isso geraria economia para todas as pessoas e órgãos públicos.

Está comprovado cientificamente que os exercícios físicos regulares (com orientação profissional e dosagem adequada) desencadeiam respostas hormonais benéficas ao bem estar e à melhoria da qualidade de vida, e melhoram fisiologicamente o funcionamento do organismo, combatendo os males que acometem a saúde e restaurando assim a saúde.

Praticar atividade física não é REGALIA, é NECESSIDADE!

Fica a dica: #vidaativaesaudável