JUDICIALIZAÇÃO DA MEDICINA

Brasil tem quase mesmo índice dos Estados Unidos de médicos indiciados


A judicialização da medicina é um dos assuntos mais latentes da atualidade e não por acaso. Cada vez mais tratados como clientes, os pacientes têm buscado muito mais seus direitos em relação aos resultados obtidos após tratamentos e cirurgias. O país já conta com um número do processos semelhante ao dos Estados Unidos, país com o maior número de processos no mundo.

Nos últimos 12 anos, teve um aumento de 1.600% no número de processos judiciais contra médicos e, de 17.000 casos estudados, 46% dos médicos foram condenados. Minas Gerais é o quinto estado que mais origina processos no país, com 6,14%.

A questão da judicialização da medicina extrapola o círculo da justiça, englobando toda a questão da delicada relação médico-paciente. Será que o médico é mesmo responsável por todo resultado adverso de cirurgias e procedimentos? Essa é a principal questão em relação à judicialização da medicina, principalmente porque os procedimentos estéticos e plásticos estão só no quinto lugar com o maior número de processos.

Para falar mais sobre o tema sugerimos os advogados do Escritório Oliveira & Santos, especializado em direito médico e da saúde, que conta com advogados formados, também, na área da saúde: um médico (Dr. Eymard Oliveira) e um farmacêutico bioquímico (Dr. Orildo Santos).

Os contatos são:
(35) 3015.8187 ou 3222.3059
escritoriooliveiraesantos.com.br