Vendas do final de ano ficam dentro do esperado

Com ticket médio de R$107,00 
o Natal de 2016 é marcado por lembrancinhas


A expectativa de vendas para o natal ficou próximo do esperado pela Associação Comercial de Varginha, o aumento nas vendas foi de 6% à 6,9% em comparação com o ano de 2015. O pico de vendas foi nos últimos dias 22, 23 e 24, quando as ruas estavam cheias. De acordo com pesquisa o ticket médio para as compras de Natal foi de R$107,00.

“O crescimento nas vendas variou de acordo com cada setor, se observarmos o valor do ticket médio de R$107,00, veremos que tiveram vantagem às empresas que vendem produtos com valores menores, tivemos empresas de calçados com queda nas vendas de 4%, mas tivemos também empresas de produtos de cama, mesa e banho com crescimento de 20%, ou seja, foi um Natal de lembrancinhas e presentes de menor custo”, disse o presidente da ACIV, Aloysio Ribeiro de Almeida.

Consumidor
Observou-se também uma grande mudança no hábito de compra dos consumidores. De acordo com pesquisa realizada em Varginha pela Dinâmica Pesquisa e Consultoria, dos entrevistados que já haviam comprado presentes antes do dia 24: 50% pagaram no dinheiro, 29% no Cartão de Crédito, 10% no Cartão de Débito e apenas 5% no crediário, 4% não souberam responder e 2% pagaram no boleto. Esses dados eram diferentes anos atrás quando as vendas no crediário chegavam a 15%.

O Pesquisador Lucas de Assis, explica a que se deve essa mudança de hábito do consumidor, “O principal motivo desta mudança é a insegurança econômica em que o país se encontra, o consumidor quer começar o ano bem, sem dívidas e sem risco de se endividar”, disse.

Inadimplência
A ACIV levantou junto ao SPC Brasil os dados da inadimplência. Foram 10.326 registros em 2016, contra 11.394 em 2015, ou seja, uma queda de 9,37% na inadimplência.

“Entendemos que estes dados são um forte indício de que temos hoje um consumidor mais consciente, que contém os seus desejos e se adaptam a realidade do nosso país e acima de tudo, um consumidor que quer deixar seu nome limpo pagando suas dívidas”, finalizou Aloysio.